quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O que temos a comemorar?

Já se foram 143 anos, e o que temos a comemorar em mais um aniversário da nossa querida Sete Lagoas? Essa é a pergunta que faço nesta data comemorativa. Assim como em nosso próprio aniversário, quando nos pegamos pensando no que fizemos, no que vamos fazer, pontos positivos, negativos, enfim, pensar na vida. Agora, como setelagoano, paro para pensar em nossa cidade, refeltir onde estamos.

Nem é preciso dizer que crescemos. Sim, a nossa população já deve beirar os 230 mil habitantes (o IBGE deverá nos noticiar isso em breve), espalhada em mais de 100 bairros do município. Às vezes nos pegamos pensando: como Sete Lagoas cresceu. Sim, cresceu. Mas cresceram juntos os problemas. A diferença de renda é uma, visível aos olhos. Carrões importados ao lado de bicicletas que mal conseguem carregar seu dono. Cresceu a influência das drogas, dos crimes relacionados à elas, principalmente o crack. Mas isso, alguns dizem, é um mal de todo o Brasil, e não por que dizer, das grandes cidades. Sim, como todos os humanos, temos problemas iguais, compartilhamos com as mesmas chagas. Infelizmente.

Em 2008 tivemos uma eleição de esperança. A população votou no atual prefeito em busca da mudança de poder, que se alternavam as caras e nomes, mas as práticas ainda eram as mesmas. Surgiu uma nova perspectiva, mesmo proveniente de família da alta sociedade. Mas o que vemos nas ruas é uma decepção. Não uma decepção de ter sido igual aos outros, mas sim por não ter sido o que se esperava que seria.

O legislativo, depois de 143 anos parece o mesmo. Mesmo com outras caras. Com raras excessões, são vereadores eleitos através de favores, de doações de cestas básicas, tijolos, consultas médicas, enfim uma infinidade de trocas por votos. Mas quando chegam no plenário, a politicagem parece ser a mesma de dantes.

Mas tivemos sim avanços. Deixamos de ser dependentes exclusivos da produção do gusa, que antes dominava a nossa economia. Se a cidade hoje respira uma sanidade econômica, isso é resultado de uma maior diversidade das atividades, principalmente industriais. Em tempos outros, uma crise como a atual, iria devastar nossa cidade, o comércio. Mas vemos o contrário: o shopping sendo inaugurado.

Ainda há vários avanços a serem feitos, principalmente social. É preciso atitudes concretas, em áreas diversas, como a educação, a cultura, para refletir diretamente na segurança pública, na saúde, no bem estar social.

Mas do alto de onde escrevo vejo uma cidade bonita, como poucas no interior mineiro. Que neste aniversário, eles comecem a pensar mais no conjunto, na cidade e sua população e menos em seus próprios interesses. Se isto começar a ser feito, terá sido o melhor de todos os presentes, muito mais que inaugurações de reformas ou mesmo astiamento de qualquer bandeira.

Parabéns Sete Lagoas. Parabéns Setelagoanos. A cidade é sua.

Um comentário:

Stefano disse...

Saúde, trânsito e ocupação urbana, para mim esses setores não estão fazendo 143 anos, porque ainda estão no século passado.