quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Os anéis se foram


Apesar de tanta expectativa, o anúncio na dança das cadeiras no secretariado municipal não atingiu seu estatus de evento do ano no gabinete da prefeitura. Alguns nomes trocaram de lugar, outros deixaram a administração, mas nada que, ao nosso ver, pode se chamar de uma reestruturação no primeiro escalão. O próprio Maroca assumiu, no início da coletiva com a (im)pren$a Sélagoana, que as mudanças serão mais de posturas, e menos de nomes com o objetivo de se aproximar mais da população e valorizar os servidores. Mas vá lá, os anéis já se foram.

De cara ele anunciou a extinção da Secretaria de Trânsito, berrento da administração Maroquiana, e junto a primeira queda, do ex-delegado Eduardo Betti. Haverá uma mutação, e a secretaria vai se tornar a Secretaria de Planejamento Urbano, ocupada pelo Flávio Dumont, ex-consultor de licitações. Ele também assume a Procuradoria do Município, no lugar do Leonardo Braga, este que assume a Secretaria de Administração e temporariamente a de Meio Ambiente. Numa mesma tacada outros dois caíram: Laírson Couto e Ricardo da Administração. Estevão Bakô também é outro nome que sai do primeiro escalão, mas não há ainda anúncio de quem vai ficar na chefia de gabinete. E por fim, as últimas mudanças são o Xexéu para a Codesel e Fábio Nepomuceno na Cohasa.

Enfim, nomes mais cotados para sair ficaram no final das contas, pelo menos temporariamente. O próprio Maroca reconhece que o presidente do Saae, Ronaldo Andrade, poderá sair, para cuidar das suas próprias empresas. Mas nada ainda confirmado. Segundo o prefeito, a comunicação a partir de agora ficará sob a sua tutela direta, o que vai retirar o peso nas costas de Fred Antoniazzi. Todo o restante será reconduzido aos seus cargos.

Terminado o resumão, vamos ao que interessa.

Ao criar a nova secretaria de Planejamento Urbano, o que sobra para a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão? Segundo o prefeito, o atual secretário vai se tornar uma espécie de embaixador da administração em Brasília para obter recursos e acompanhar projetos. Não sabia que o Flávio de Castro havia estudado no Instituto Rio Branco. Maroca retirou o polêmico Departamento de Licenciamento de Obras (DLO) das mãos de um Flávio, o de Castro, e passou para outro, o Dumont. Em miúdos, para amenizar as críticas, tirou o DLO - que ganhava novos ares, de mais agilidade e transparência, e por isso incomodava muitos dos poderosos por ai - de quem se propôs a promover mudanças, passou para outra pasta e esvaziou totalmente a Secretaria de planejamento. Dizem por aí que muitos dos assessores do Flávio de Castro, que o ajudaram na reforma, devem sair do DLO depois dessa mudança, e alguns tem medo de um retrocesso no departamento.

Em tempo: nosso amigo Celso Martinelli foi direto na jugular, e perguntou quem são esses poderosos que tanto criticam a atuação do secretário de planejamento. O prefeito se esquivou e não respondeu. Uma pena.

Enfim, quem nem deveria ter entrado na administração continua forte, e saiu ainda mais fortalecido com as trocas e mudanças. A cidade continua esburacada - que aliás foi assunto na coletiva - cheia de mato e mal cuidada. O prefeito prometeu, e isto está gravado, que será o último ano que os buracos ficam na calçada à espera de um lugar na rua. As trocas visam visivelmente as eleições de 2012, apesar do prefeito se negar. Infelizmente em alguns casos ele cedeu a pressão dos "poderosos" - como é o caso do DLO - apesar de tentar passar que não era isso. E ele ainda deve ser lembrado que quem elege é o voto da população e não dos "poderosos".

Um adendo: alguém ai poderia informar que os releases tem o objetivo de pautar os jornais, e não serem usados como matérias. Estes jornaleiros, ops, "jornalistas" de plantão que só copiam os textos enviados pelas assessorias de comunicação deveriam aprender realmente o que é jornalismo. Aquele velho jornalismo, feito na rua, sem medo de descer do carro no barro e caminhar pelos bairros de periferia. Vi alguns representantes da (im)pren$a presentes na coletiva, pressionando a assessoria de comunicação da prefeitura a enviar os textos até tal horário, para sair no jornal. Se estavam presentes, por que não produzir os próprios textos? Incompetência? Preguiça? Vai prá enquete hoje ainda.

Foto: Quim Drummond

12 comentários:

rogerio disse...

Marcos Avelar, o oficio do jornalismo sempre me fascinou,lendo jornais,vendo filmes sobre o assunto me lembrei do inicio de carreira de grandes jornalistas como office boy depois evoluíam para “focas” ..... e por ai iam, correndo o risco de estar falando asneiras ,hoje o caboclo vai fazer uma faculdade de comunicação, jornalismo sai com o canudo na mão.....e daí?
Se não tiver vocação........vira mensageiro

Forte abraço.

No Prelo disse...

Caro Pardal,
o problema é que muitos desses jornaleiros, ops, "jornalistas" mal passaram pelos bancos do ensino médio, muito menos da faculdade, e se dizem da (im)pren$a Sélagoana.

Mas o interesse maior é o $$$$. Infelizmente.
Abs

Anônimo disse...

Inovações Maroquianas:

1 - Procurador Geral do Município acumular funções de Governo - Além de ilegal é conflitante já que ao Procurador cabe, também, analisar a legalidade dos atos dos Secretários.
2 - Demissão Presumida - Não se demite o Secretário da Pasta, mas o coloca na geladeira extirpando suas atribuiçõesowstiv.

Coisas do Maroca.

Eduardo disse...

Parabéns pelo texto, dá para sentir o clima e o estilo desta administração que não consegue se estruturar e ganhar um pouco de credibilidade. Se somarmos este episódio ao da Presidência da Câmara, o "circo" fica completo!

Paulo do Boi disse...

Marcão e demais Noprelianos.

Fico pasmo com as jogadas administrativas. Quando penso que já vi, ouvi e li de tudo, em se tratando dos desmandos de uma gestão, deparo com uma estratégia pra la de "criativa". Sim, vai ser criativo assim lá longe. Não retiraram o Flávio do planejamento mas, tiraram o planejamento do Flávio. Fiquei a pensar de quem foi a "brilhante" idéia. SOFREMOS E AMARGAMOS UMA CIDADE SEM OPOSIÇÃO! Aceitaremos calados e sem a mínima condição de reação. Os poderesos, indagados por Celso Martinele, cobram caro demais seus favores.
Só espero agora, que a política cultural por nós cobrada, flua com mais objetividade e mais rápida pois, o secretário de cultura estará por conta de agora em diante. Não é mesmo? A passagem da comunicação para a secretaria de administração quer dizer alguma coisa a mais? Vão desocupar o prédio da secretaria de cultura? Vão deixar o Fred dar andamento e cumprir as reivindicações apontadas no relatório que entregamos? São perguntas que fazemos entra ano e sai ano, entra prefeito e sai prefeito. Espero que a secretaria de cultura tenha mais autonomia e dinheiro daqui pra frente. Oxalá meu pai!

Um abraço
Paulinho do Boi

Carlos Jardim Arizona disse...

Maroca disse que só mudou as secretarias que estaria desgastando seu governo, mas o SAAE não teve mudança. Um duelo entre servidores e diretoria onde quem vai sair perdendo seremos nós Setelagoanos graças a omissão do prefeito Maroca.

Stefano disse...

Queria saber se o Maroca não tá com vontade de ir pescar em Kuala Lumpur, por uns 10 anos?

Anônimo disse...

Ao Paulo do Boi,

A cidade tem oposição sim. O que não tem é imprensa imparcial para dar voz a oposição.

Paulo do Boi disse...

Anômino

Quando falo em oposição me refiro a uma oposição responsável.Cansei de ver gente batendo panela na rua, defendendo uma causa e quando assusto, elas estão ocupando cargos nessa ou naquela gestão. Ficam caladas e até juram que não eram elas que estavam lá. Gente inclusive que andava ao meu lado. Quanto aos jornais, existem dois tipos de jornais e jornalistas, já citados aqui pelo nosso querido nopreliano Marcão. A internet trouxe qualidade e democracia para os debates, que saem daqui e vão para a banca da Hilda, açougue do Ary (mercadão), pastelarias, padarias e outros pontos de encontros da cidade. Foi-se o tempo em que ficavamos calados assistindo e lendo tudo, obrigados a engolir quadrado. Uma pena a oposição, em nossa cidade,não se assumir com partido definido, livre. Seria um ótimo momento para se aproveitar. PARA FAZER OPOSIÇÃO NÃO PRECISA DE MÍDIA E JORNAIS E SIM DE ATITUDE.
Anônimo, obrigado pela referência que oportunizou a reflexão. Saia do anonimato...

Um grande abraço
Paulinho do Boi

Anônimo disse...

Paulinho,

Temos oposição sim, com partido definido e propositiva que é o pessoal do PSB. Agora o fato é que a grande mídia pisa em ovos quando o assunto são as mazelas da cidade.
Obrigado por contribuir e participar.

Anônimo disse...

Qual PSB? O dos Vasconcelos?

Anônimo disse...

Sim, por que? Por acaso os vasconcelos e o pessoal do PSB apoiam os desmandos que reinam em Sete Lagoas nos ultimos anos? Quem tem sido melhor na oposição do que o PSB?