quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Prefeito sem líder

O que eram boatos em mesa de bar se concretizou na manhã desta quinta-feira. Oficialmente o vereador Renato Gomes, do PV, anunciou sua renuncia ao cargo de líder do prefeito na Câmara Municipal. A decisão foi informada ao próprio Maroca, em uma reunião na noite de quarta, entre os dois. "Eu tomei essa decisão para que poder fazer um trabalho mais independente, com as minhas convicções políticas", anunciou. Assim como os três do PT, mais um vereador que antes era da base do prefeito agora declara sua posição "independente".

Para Renato, sua decisão não é uma ruptura com a administração, e muito menos será uma oposição. Ele avalia que este primeiro ano foi de muito aprendizado, mas deixou implícito que agora é hora de cuidar de seu cargo no legislativo, e sentir menos o peso de líder. "Havia cobranças de parte do primeiro escalão, para que eu defendesse a imegem do prefeito na Câmara", revelou, e reclamou da morosidade da administração. "Acredito que tanto o prefeito, quanto os secretários tenham amadurecido politicamente. O prefeito precisa repensar suas ações e decisões, e tem quer ser rápido no gatilho", completou. Para o vereador, sua saída dará maior liberdade nas próximas eleições, quando ele poderá apoiar os nomes que achar mais conveniente. Ou seja, está livre do cabresto.

A contagem não é nada favorável ao prefeito na Câmara Municipal. De uma bancada de 9 no início de 2009, agora, teoricamente, sobram apenas três, sendo um deles o presidente. São quatro do PMDB de oposição declarada, três do PT, o Renato, além de Marcelo Cooperselta que se auto-declarou independente, como já havia feito Tristeza. Restam apenas Euro Andrade, Milton Saraiva e Duílio de Castro como base de apoio.

Mas quem sabe assim a Câmara Municipal não saia da inércia e começa a discutir de forma séria as questões do município? A independência dos poderes é que rege a democracia e não uma Câmara submissa. Será que podemos vislumbrar um novo momento na política de Sete "Bananas"Lagoas?

6 comentários:

Stefano disse...

O prefeito desse jeito vai acabar mais sozinho, que Barbosa depois da copa do mundo de feutebol de 50.

Anônimo disse...

Atitude correta do Renato Gomes e do PV. Ficar defendendo o indenfensável é foda. Ser lider de um governo onde os secretários não dão atenção aos vereadores eleitos é impossível. Como disse o Stefano, o prefeito, cada vêz mais isolado, que fique com seus assessores de terninhos elegantes e com seus familiares.

Anônimo disse...

Atitude sensata do Renato Gomes. Ter sua pessoa ligada ao prefeito só lhe trazia prejuízos políticos. Essa administração não está preparada para ter líder. Exercer uma posição consciente e crítica e não uma oposição sistemática e sectária é o que o Renato Gomes deve fazer. O gabinete do prefeito é muito ruim no relacionamento político, fraco e inseguro. Talvez com a ida do Beto Andrade a coisa melhore, se não boicotarem seu trabalho.Renato carregou uma cruz numa caminhada árdua e nunca foi valorizado nem prestigiado pelo prefeito. Demorou.

Anônimo disse...

Ao anonimo acima:
A figura do cidadão e funcionário público Beto Andrade esta sendo apenas explorada. Por que até o momento nada com relação a sua efetiva participação nas questoes politicas da adm se concretizaram.Mesmo porque nessa adm funcionário não tem vez. Pelo visto o prefeito prefere ficar só. Com os forasteiros é claro....Já a presença de seu querido primo Rodrigo PAIVA, está comprovada.E deve estar sendo comprovada tbm financeiramente, visto que o mesmo é aposentado pelo municipio,e é atualmente funcionário do municipio, ou seria ele "VOLUNTÁRIO"? Com relação a presença deve ser somente a fisica,ou não.... Porque a presença de espitirito é inexistente.
Abraços a todos.

Stefano disse...

Pelo amor de Deus! Se o prefeito acabar com esses carros, que andam com o som a mil, já fez alguma coisa. Na Raquel Teixeira Viana nem o hospital esses marginais respeitam. Peço ao Prelo que façam uma reportagem sobre isso. O pior é o gosto musical, funk e breganejo a todo volume e a qualquer hora.

Anônimo disse...

Boa stefano,

Incomodam, prejudicam o transito, concorrem com outras formas de mídia. coisa de cidade pequena que nós não somos. Se tivessem alguma coragem, acabariam também com mesas nas calçadas, barracas nas praças e nas esquinas, estacionamentos exclusivos e por ai vai...