quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Falta de assunto

E não é que o Brasil só começa a funcionar depois do carnaval? Alguns ainda insistem em marcar o retorno aos trabalhos no dia 02 de fevereiro, no sábado de carnaval, mas não adianta. Brasileiro espera a o término da Festa do Rei Momo, para começar o ano.

E isso reflete na imprensa. É a eterna falta de assunto em janeiro que literalmente mata os jornalistas, que estão a procura de notícias para repassar à população. Mas a falta de assunto insiste em permanecer. Há ainda um acontecimento ou outro que ajuda a alimentar os cadernos, sejam eles diários ou semanais. Como foi o caso do roubo de criança este ano. Mas, mesmo assim, nada perdura um mês inteiro.

Mas há de se mudar tudo. Ano eleitoral, de escolha para prefeitos e vereadores, políticos de estirpe exótica, que sempre cometem coisas que são até impublicáveis. Assim, apesar do ano começar morno, a previsão é de aquecimento do clima local. E estamos de olho, com ouvidos afiados, e a língua, é claro, pronta para falar.

Obs.: O texto foi escrito apenas para mostrar um pouco para os leitores como é a vida de jornalista no início do ano... Uma eterna falta de assunto...

2 comentários:

cristianosans disse...

Gostaria de parabenizar a Rádio Santana pelo excelente trabalho...

Mas venho para comentar sobre a Lagoa Paulino, realmente está um absurdo em toda a cidade, nao só na lagoa, os flanelinhas. Sempre morei no centro e é uma vergonha ver meninos dizendo que vão lavar o carro, e quando se diz que nao precisa lavar, eles vêem perdir para olhar o carro quando se estaciona, pois o centro, principamente, próximo as ruas Lasance Cunha e Emílio Vasconcelos está uma vergonha por falta de estaionamento. E ainda por cima, nos contribuintes parace que não temos nem o direito de estacior o carro sem que venha algume pedir para olhar. E o pior é que se vc nao der uma gartificação (pagar) corre o risco de ter o carro na próxima vez todo arranhado.

É uma vergonha, Sete Lagoas, infelizmente, já está ficando ficando nesse estado. Você começa a temer a ação desses flanelinhas.

Tenho o pensamento que cadastrando e uniformizando os flanelinhas é uma boa iniciativa, mas deve ter um bom cadastro, onde os mesmos devem mostrar comprovante residencial, telefone, e ainda uma certidao negativa, pois so assim os cadadãos Setelagoasno podem sentir uma aparente segurança.

Por hora é so.

Abraços a todos da rádio.

Cristiano Sans

Anônimo disse...

Sugiro um levantamento dos gastos da Prefeitura com propaganda do nosso "carnaval"