quarta-feira, 7 de maio de 2008

O Brasil que ninguém conhece

Todos nós sabemos que o Brasil é um belo país, com uma extensão imensa e vários atrativos. Mas muitas vezes, ele se resume no sul, sudeste e nordeste, certos cantos não são lembrados nem muito menos valorizados. Eu, Bruno Perez, jornalista, sempre gostei de ler e estudar um pouco sobre outros Estados, costumes, tradições e principalmente mercado de trabalho. Nunca tive o sonho de sair do país.

Há dois anos atrás, recebi um convite para me formar e me mandar para Roraima, norte do Brasil. A partir daí comecei a entrar de cabeça nesta idéia e aos poucos ela foi amadurecendo. Uma das coisas que pesavam era a família, os amigos, mas não poderia me prender a isso porque afinal, minha vida profissional estava apenas começando. Hoje, há um mês morando em Boa Vista vejo que aquela imagem de quase todos que conversei sobre Roraima é errada. As perguntas que mais escuto são: “Aí tem muitos índios? Eles andam pelados nas ruas? Em Roraima jornalista é morto por fazer matérias?” Cansei de ouvir isso, mas quando embarquei sabia que não estava entrando num terreno desconhecido, sabia que era um Estado novo, porém, cheio de oportunidades, e a cada dia isto vem se concretizando, as oportunidades de emprego, a valorização do profissional e a necessidade de mão de obra qualificada fazem com que aqui seja o lugar para se trabalhar.

Estou sendo bem recebido e mais que isso, estou sendo valorizado no que faço. Infelizmente, em Sete Lagoas nós jornalistas, pelo menos na maioria, batem cabeça em busca de oportunidades e ainda são pouco remunerados. Fazer um curso de jornalismo passa a ser então perda de tempo, porque, basta saber escrever que a pessoa pode-se tornar um repórter, apresentador, enfim, qualquer um pode se ingressar no mercado de trabalho. Na minha opinião o jornalista não tem apenas que saber escrever, tem que saber ver, analisar os fatos e informar com responsabilidade o seu público. Pra mim, quem sabe apenas escrever pode ter espaço sim, mas como escritor talvez. Não estou mandando recado para quem não é formado e sim para quem contrata este profissional. Se quem não é formado têm a chance, é claro que vão aceitar por muito menos, desvalorizando o verdadeiro jornalista, que gastou tempo e dinheiro na faculdade.

Depois de ter esta chance, eu quero poder ajudar a todos que querem tentar a vida longe de Sete Lagoas, cidade que nasci e que quero voltar um dia, um lugar de muitos amigos, de um povo hospitaleiro e de belas lagoas. Abraço aos amigos da ETV, Jornal Tribuna, Sete Dias e Rádio Santana FM.

Bruno Perez

4 comentários:

Anônimo disse...

Finalmente Bruno Perez dá sinal de vida, e nem foi através de fumaça. Incrível, foi atrasvés de internet... Brincadeiras à parte, é bom saber notícias do nosso companheiro aventureiro.
E boa sorte ai no Norte... Se tiver alguma vaga, avise seus colegas aqui, insanos por oportunidades.
Abraços
Marcão

Pablo disse...

E bota insano nisso, Marcão.
Bruno, apesar do pouco contato que tivemos aqui em SL, não posso deixar de torcer pelo seu sucesso, assim como o fiz com o Guilherme Viana, quando foi para o Acre.

Abração.

leonardo@leonardobarros.com disse...

Um abraço Bruno!

Hugo Lyra disse...

Um abraço Bruno que esse novo caminho Deus ilumine seus passos.
Hugo Lyra