quarta-feira, 29 de setembro de 2010

MP entra no (des)caso

Ao que nos parece, a saúde virou uma tremenda queda de braço. Um e-mail inteiro enviado pela assessoria de comunicação da secretaria de saúde, revela que o Ministério Público entrou no (des)caso do Hospital Municipal, único hospital público na região, que dizem as autoridades, é aberto a uma população de quase 500 mil habitantes.

Pois bem. No email inteiro, está em anexo uma recomendação do Promotor de Justiça, Marcelo Augusto Vieira, em que dentre outras coisas cobra mais idoneidade dos profissionais que ali trabalham. Segundo ele, foi detectado que alguns destes profissionais adotam uma postura não condizente com "ética e moral exigidas dos prestadores de serviço público".

Consta no documento: "Considerando que o mesmo procedimento investigatório apontou indícios de que alguns profissionais de saúde estão agindo com grave desvio de conduta, tais como afastamento ou abandono de plantão sem prévia autorização, desobediência dos horários determinados para o serviço de plantão, encaminhamento de pacientes para exames ou consultas particulares e, até mesmo, realização de cobrança de honorários em dinheiro para atendimento de pacientes".

Desta forma ele chama a atenção de que esses funcionários, se comprovados, podem ser indiciados em crimes e atos de improbidade administrativa (assim como foi o ex-prefeito Ronald, o Cana Brava). Após isso, ele recomenda que estes profissionais tomem posturas mais Profissionais, óbvio.

Mas o que há por trás desta recomendação? Sabemos que os salários pagos no município são mais baixos que os praticados em cidades menores, o que na prática (e sejamos práticos), dá margem à profissionais fazerem o que bem entender. Não que isso seja certo, mas é óbvio ululante. Mas por outro lado, eles são profissionais, fizeram um juramento antes de receber seus diplomas e devem cumprir um compromisso. Fato é que a saúde na cidade é um gargalo que não parece ter solução (alguns apontam o Hospital Regional, mas tenho cá minhas dúvidas), e sempre figurou as linhas deste blog.

A coisa parece que começa a virar um cabo de guerra. Alguém aposta comigo aí quem sai perdendo?

5 comentários:

Stefano disse...

E os médicos que usaram o hospital municipal, para obter votos? Como fica isso?

Ramon Lamar disse...

O povo, talvez?

ENIO EDUARDO disse...

Marcão muito boa sua retomada no Blog. Creio que todos os leitores estamos felizes por esta retomada.

Eu quero aqui apenas lembrar que os médicos do Hospital Municipal de Sete Lagoas são muito bem remunerados. Existem profissionais com salários superior a 15 mil reais. Fui Secretario de Saude por 4 meses e meio e pude ver o resvalando da composição salarial destes profissionais. O pior e que inúmeros casos não existem garras legais para a sustentação destas remunerações.

Conheço o Dr. Marcelo - Curador da Saude do MP. Trata-de de um homem muito equilibrado e entendedor da fragilidade do Sistema. Creio que sua recomendação e apenas um aviso, uma vez que ele conhece bem a realidade salarial e profissional dos médicos.

Quanto aos demais profissionais que trabalham nas áreas intermediarias do Sistema sim, estes recebem salários vergonhosos.

Abraço, agradeço pelo retorno, No Prelo e muito importante para seus leitores.

Enio

Paulo do Boi disse...

No prelo e seguidores.

Estive recentemente no hospital municipal. Tive que ir, devido minha esposa ter sido mordida por um cachorro. Vou relatar passo a passo nossa agonia, neste dia nos dias seguintes.

1 - Fomos ao PA central, levados de carona por uma amigo. Chegamos lá e recebemos a notícia que tinhámos que ir até o PS municipal. Pois no PA não tinha vacina.
2 - Nosso amigo estendeu a carona e nos levou ao PS. Chegamos e passamos por uma avaliação primária chamada classificação de risco. Fiquei entusiasmado com a mudança no atendimento, tudo computadorizado e a chamada se deu alguns minutos após chegarmos. A enfermeira que nos atendeu foi super gentil e profissional ao extremo, olhou o arranhão na perna de minha esposa, mandou aguardar. Até aí estávamos em um atendimento de primeira qualidade. Eu sabia que ia demorar pois, não corriámos risco de morte e nosso caso não era grave.
3 - Horas depois... Fomos chamados. Entramos em uma porta, guardada por um GM - Guarda Municipal e uma assistente "recepcionista". Fomos direto para uma sala de atendimento ambulatorial. Mais 30min e até que enfim o médico chegou. Fez a avaliação e nos encaminhou para a vacina que deveria ser aplicada no outro dia em um posto de saúde...
4 - Olhei para o corredor da parte interna, enquanto esperava o médico e visualizei alguma coisa bem próxima de um abatedouro ou matadouro. Vi e vivi, por alguns minutos, a aflição da equipe dos médicos e enfermeiros na tentativa, em vão, de improvisar o atendimento e confortar os pacientes. Corredor cheio, acompanhantes impacientes com a espera, gente chorando e gritando de dor, bolsas de soro e remédios dependuradas em macas,quartos cheios, sangue velho no chão e assim foi... Fiquei constrangido. Em meio a tudo isso pude perceber a sensação de impotência de uma equipe que estava fazendo das tripas o coração para tentar amenizar e não conseguia...Juro que se soubesse a procedência do cachorro que a mordeu, não teria ido lá.
5 - No outro dia minha esposa foi ao posto e bingo! Descobriu que lá não tinha vacina - Posto do Santa Luzia - Encaminharam para o PA e...De novo não tinha vacina, desta vez ela foi apé do Santa Luzia ao PA Central. Voltou ao PS conforme orientação dos funcionários do PA e tomou a vacina. Depois de algumas horas de espera, é claro.
E assim foram todas as doses, tomadas no PS.
Tudo se deu no mês de agosto...

Algumas indagações de praxe.

1- Há médicos e enfermeiros suficientes no sistema de saúde de Sete Lagoas?
2- Quando temos que tomar vacinas contra raiva, teremos sempre que ir até uma unidade de urgência? A única da região!
3- O espaço do antigo colégio Cristo Rei é ou foi devidamente adequado para um hospital?
4- A classificação de risco na portaria e todo atendimento da entrada significa o que, depois que a gente passa da porta para dentro?
5 - Lendo o post em questão: O ministério público deve sugerir um melhoramento no atendimento dos funcionários ou nas condições de trabalho por eles vivenciadas na labuta diária?
6- Onde entra o Conselho Municpal de Saúde na questão?
7 - Tô de saco cheio...

8 - Recebi um boletim de campanha do governador Anastasia - "Asia" dentro da minha caixa de correios, que se transferiu para o meu estômago, logo após ler o foheto. Aécio e Anastasia investiram na reforma do hospital regional de Sete Lagoas... Gente, vou ter que tratar minha gastrite nervosa. Vou tratar pelo SUS - Susto!

Inté

Sds
Paulinho do Boi

Anônimo disse...

Se bem me lembro a principal promessa de campanha do atual Prefeito foi de resolver o problema da saúde em 100 dias.

Ou estou enganado?

Mas em todo caso, ele ainda tem dois anos para resolver.

Resta esperar. De preferência sobre macas, para não cansar.