sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Por um segundo

Nem sei bem como começar este texto. Aliás, nunca imaginei na história deste blog ter que escrever mal estas linhas tortas, e é, sem nenhuma dúvida, o pior momento de vida deste espaço.

Fred era muito mais que um companheiro de blog, muito mais que um colega de profissão. Era um amigo de verdade, destes que a gente encontra poucos na vida. Era um irmão. Nossa amizade transcendia as linhas do No Prelo, ou mesmo, dos microfones da rádio. Sempre depois do programa, essa amizade ganhava as ruas, bares, e não era difícil estender uma conversa por mais de quatro horas, initerruptas, sem momentos de silêncio. Era assunto que não acabava mais. Deve ser a tal afinidade. Aliás, foi através dessa tal afinidade que começamos juntos no Comunicação Total, e por consequência, este blog. Este blog, que agora tem a equipe só pela metade.

Deve ser essa tal afinidade, que juntos planejávamos profissionalizar este blog, ganhar uns trocados com ele. Deve ser essa tal afinidade que pensávamos em montar uma agência de comunicação, ser donos dos nossos próprios narizes. E se tudo desse errado, a gente ia vender cerveja próximo à Arena do Jacaré.

Mas isso agora vai ficar nos sonhos. E infelizmente não tenho mais o Fred aqui ao meu lado para dividirmos esse sonho.

Peço paciência aos nossos amigos leitores deste blog. Me lembro de cada linha, de cada palavra construída nestes textos publicados. Fomos atacados, criticados e elogiados, mas sempre seguíamos o que achávamos o correto, o que era certo. Não é, de forma alguma, piegas, dizer que Fred ainda está vivo aqui. Estão vivas suas idéias, seus ideais, suas ideologias.

Por isso peço paciência. Um segundo de silêncio. Preciso pensar, refletir em o que fazer com o No Prelo. Neste momento não tenho forças para manter, continuar sem o meu amigo, meu irmão.

Fred, de onde estiver, me ilumine, me mostre o caminho a seguir. Pois estou sozinho aqui agora.

Saudades!

20 comentários:

Ramon Lamar disse...

Marcão,
tenha serenidade, tenha o tempo que precisar, o tempo que entender ser o necessário. Todos vamos compreender. Só não vamos suportar mais uma perda, a perda do blog e das ideias suas e do Fred. A ligação fraterna entre vocês era um raro momento do irmão que se escolhe, do irmão que continua no trabalho do outro. Mantenha o blog, mantenha a chama acesa.
Abraços.

Narinha disse...

Caro amigo Marcão,

Fred encerrou sua curtíssima passagem aqui como sempre viveu: rodeado de amigos, aplaudido por todos, querido por unanimidade. E nós ficamos com muitas saudades, muitas .
Para você, só bênçãos, bem, benignidade... coragem e fé. Não há o que temer

"Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu,
enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?"

Carlos Drummond de Andrade

Stefano disse...

Lamentável, vai ficar um vazio, os bons morrem jovens, já dizia o poeta.

Renato Alves disse...

Estou triste pelo Fred, pela família dele. Gente como ele chega a ser espécie raro no jornalismo setelagoano. Sei como é difícil tentar fazer jornalismo nessa província, e o Fred lutava por isso, lutava contra muita gente, remava contra a maré.

A melhor maneira de manter o Fred vivo é manter este blog ativo, seus ideais vivos. Colaboradores não faltarão.

Mas, Marcão, se dê um tempo pra refletir. todos vamos entender.

Paulo do Boi disse...

Marcão
O Fred era um lutador...(ainda é)

Você é um lutador!

Só é lutador quem trás no peito o cheiro e a cor de sua Terra, a marca do sangue de seus mortos e a certeza da luta dos seus vivos...

Tenha a paz e o conforto de saber que você foi para o Fred um grande amigo, honesto, limpo com suas convicções e intenções e é assim que o vemos...
De uma maneira ou de outra vamos continuar...Porque é assim que o Fred queria. Que não parássemos nunca...

Conte sempre com a gente.

Grande amigo Marcos. MARCÃO

Blog do Flávio de Castro disse...

Marcão,

Eu convivi, infelizmente, muito pouco com o Fred. Mas passei a gostar e reconhecer a importância do Fred pelos seus amigos, por você, pelo No Prelo.

Como cidadão daqui, como uma pessoa que ficou muito tempo fora, mas que sempre acompanhou a vida dessa cidade, como uma pessoa que retornou há um ano e pouco, com esse olhar que é o único que eu posso ter, eu gostaria muito de dizer da relevância de Fred, sua e dos seus amigos para essa cidade. O quanto vocês são importantes para tirar essa cidade de certa mediocridade a que ela, muitas vezes, parece condenada. Eu disse no meu blog e quero reafirmar aqui: eu não tenho dúvida de que vocês são essenciais.

Essenciais mesmo!

Como o Ramon disse, você tem o tempo que precisar. Mas em nome dos que lhe admiram, eu lhe peço: abrevie esse tempo. E conte com todos nós para isso. Para desabafar, para desopilar o fígado, para esquecer a vida, para passar o tempo, para ficar calado, para lembrar do Fred, não lhe faltarão amigos numa mesa de bar...

Pacientemente, vamos lhe aguardar. Mais do que nós, você sabe que Fred não lhe perdoaria não continuar viva suas ideias no prelo.

Força aí!

Flávio

ENIO EDUARDO disse...

Caro Marcão, membro desta equipe de dois ótimos jornalistas, lendo este texto imagino a dor que sentes.
Tomo a liberdade de fazer este comentário, mesmo conhecendo você e o Fred muito pouco.

Posso afirmar que o Jornalismo No Prelo me fez conhecê-los pelo viés da ideologia.

Como leitor do Jornalismo No Prelo, digo a você que terás toda a paciência do mundo. Nós leitores respeitaremos o que você melhor decidir quanto ao blog que vocês dois construíram.

Diante do imponderável, não cabe muitas palavras, cabe respeito. Todos nós leitores deste blog estamos de luto.

Conversei com o meu amigo Caio Pacheco, perguntei sobre quem era o Fred Rezende. O Caio o definiu como aquele que manteve sua retidão de comportamento até o fim, como o melhor caráter que ele conheceu, como um homem de fibra inquebrantável.

Caro Marcão, homens assim não morrem, encantam. Cabe a nós perenizar seu nome.

Que Deus o proteja e te dê o melhor discernimento. Ao Fred, rezaremos para que de onde ele estiver, que consiga ter e dar caminhos de luz para seus familiares e amigos.

Forte Abraço,

Enio.

Amaro Marques disse...

Marcão,

A morte é uma coisa estranha... mesmo sabendo que ela é certa, inevitável, ela ainda consegue nos pegar de surpresa.

Fred era um cara de bem. Ètico, sério, engraçado na abordagem de suas idéias; sacástico e, principalmente, justo. Todos nós estabelecemos com ele um relacionamento neste blog de dois jornalistas. Vai ficar a saudades e, epero, que a preenchamos com a inspiração advinda da postura ética e ilibada com que as ideias do Fred nos eram apresentadas. Fica o seu exemplo de uma boa conduta humana, que com certeza manterá o seu nome ativo e presente na nossa sociedade.
O seu caminho, Marcão, continuará sendo percorrido, vc deve isso não só a vc, mass a muita gente, inclusive ao Fred.
Tire o seu tempo... sinta a sua dor... se prepare para adequar a sua vida a ausência física de seu amigo e cúmplice.
Quando as coisas se acomodarem e vc se sentir melhor, tenha a certeza de que continuaremos aqui esperando para que o seu trabalho prossiga, ainda que opte por utilizar outros instrumentos. Pois, como o Fred, vc é importante para gente e não queremos sentir saudades dos dois.

Conte com a gente.

Cordialmente,

Amaro

Vitoria Menezes disse...

Marção, o tempo é o melhor remédio, mas viver intensa e profundamente uma tristeza nos ajuda aliviar a dor.
Portanto, se deixe entristecer, chore, lembre cada momento vivido com seu amigo, e aos poucos os sentimentos e a vida irão encontrar seu rumo.
Paz e bem pra vc.

Geraldo Donizete disse...

Marcão:

Minha solidariedade e meu abraço prá você.

Movimento Nossa BH disse...

Marcão...
sou colega do Fred lá da Fumec...Ele foi meu parceiro em muitos trabalhos de escola... Tenho certeza q ele quer q o blog continue vivo...Afinal, é o resultado do trabalho dele e seu! Talvez o papel dele aqui na Terra tenha se completado e agora quem vai dar continuidade é você...Eu não sei de nada, tô emocionada, adorava o Fredolino, mas acho q tinha que te escrever pra mandar essa mensagem: queremos No prelo na alta! Queremos continuidade! Todos queremos... como sou jornalista tb, apesar de morar em BH e ser atleticana pra sempre, posso contribuir com algo...vamos continuar comunicando...Tô aqui...Beijo no coração!
http://movimentonossabh.blogspot.com

Carolina Mendes disse...

Marcão, querido...
você não está sozinho! Jamais estará! Como você disse, ele ainda vive aqui! Nós, leitores do No Prelo, estamos aqui!
O Fred foi um dos jornalistas mais corajosos que eu já conheci. Tem a coragem que eu não tenho e nem nunca imaginei que pudesse ter. Você, com seu talento, sua inteligência e perspicácia partilhava com ele ideias e ideais. Não deixe que os sonhos morram! Não deixe que essa fatalidade mate também aquilo com o que vocês sonharam.
Semanas atrás ele me falou dos projetos de vocês. Disse que estava animado e queria "te colocar pilha" pra fazer as coisas acontecerem. Siga em frente e conte comigo para o que precisar!
Ele merece essa homenagem. A cidade merece (e precisa) disso!

Grande abraço...

Que Deus possa confortar seu coração!

francisconeto55 disse...

Marcão,

Nem consegui ler todos os comentários, posso até ser repetitivo sem querer.
Então, diante do fato acontecido, só há uma forma de vc. desfazer todo este ato prematuro, o engano de ser levado antes da hora, uma pessoa tão brilhante, é continuar a sua marcha. Assim o fazendo, vc. poderá manter viva não só a sua memória, mas a essência da alegria de escrever, das nuances, os detalhes e toda aquela força que o mantinha aqui entre nós. Assim o fazendo podemos dizer: FRED FOREVER, AQUI NO PRELO...
Força amigo,
PROF. CHICÃO

Clenio Araujo disse...

Marcão

Pelos comentários, fica mais que claro: se cada um tem seu destino (e tem msm), o seu, em relação ao blog, é continuá-lo. Com a devida reflexão sobre o que aconteceu e como tudo agora será. A única coisa certa é que seu amigo Fred não lhe deixará sozinho.

Abraço

Fernando disse...

Fernando Alvarenga disse...

Prezado Marcão,

Estudei com o Fredolinoos meus 4 anos de caminhada jornalística. Ele nunca se imaginou deixando de fazer o jornalismo. Espero que você tenha o mesmo sentimento. sugiro que faça um retrô com os melhores momentos seus. O corpo físico não está mais aqui, mas suas idéias devem continuar, perpetuar.Quem o conheceu ou ouviu dizer, é impossível esquecê-lo. Sempre perseverante.

Um abraço grande amigo aonde estiver.

Pablo disse...

Marcão, o Ramon resumiu bem: "Todos vamos compreender". Não importa o tempo que o No Prelo estiver inativo. Este espaço virtual é uma idéia de você e Fred, e, como todas as boas idéias, permanecerá.
Aqui no blog e nos microfones da rádio, o pensamento independente, imparcial e inteligente também permanecerá.
Todos precisamos de um tempo para assimilar o que aconteceu. Você mais do que todos que acompanhamos este espaço.
O Fred ficou mais do que encantado, se formos lembrar as palavras do JGR. Fred ficou como um exemplo de bom profissional, ético e jornalista leal ao veículo onde trabalhou durante 10 anos.
Marcão, força!

Anônimo disse...

Meu nome é José Ademilson mais conhecido pelo meu amigo Fred por Dê. Trabalhei com ele durante uns 8 anos no Boca, me lembro bem quando ele começou sua tragetoria como jornalista pois eu ja era impressor daquele jornal e também que durante uns bons anos ele fazia suas reportagens usando sua antiga caloi cros "crosinha" uma bicicleta que ganhara quando criança e foi assim o começo da carreira desta grande pessoa um cara que não tinha irmão mas que tratava seus amigos como tal pois chegava do seu lado segurava seu ombro e lhe apertava com segurança e dizia fala meu amigo. Se eu fosse ficar aqui escrevendo sobre ele não ia acabar, mas espero que seus ideais continuem sendo levados a diante pois ele era um cara perceverante tanto para si proprio quanto para com seus amigos dando força para a busca de novos desafios.Agora resta boas lembranças e saudades.

fernandatotoli disse...

Cheguei de viagem e fiquei sabendo da triste notícia... Como digerir que uma pessoa tão idônea e atenciosa como o Fred tenha nos deixado tão cedo?
Nunca vou me esquecer da sua prestatividade conosco (seus colegas jornalistas), sua simpatia em sempre me chamar de "Fernandinha" (com tanta alegria na voz), em atender com tanta boa vontade aos pedidos de pauta, convocações de coletivas, em sempre estar a postos para ajudar e colaborar com qualquer pedido profissional... Vai deixar imensas saudades!

Marcão, meu amigo!!! Imagino a sua dor e tristeza. Mas sei também que, como o Fred gostaria, você vai reunir forças e continuar. Não importa o tempo que precisa. Teremos paciência. Fred vai te iluminar e te mostrar o caminho a seguir. Você não está sozinho!

Disa disse...

Marcão, a vida pulsa e a gente muitas vezes esquece disso, mas puxa, difícil crescer e aprender com a dor, né?
Estou de férias e só agora soube do Fred.

Que anjos gigantes iluminem o caminho dele, na travessia.
Não tenha dúvidas de que ele foi ser bondade, educação, prontidão e tranquilidade em outro lugar.

Um beijo enorme, receba meu abraço fraterno e carinhoso!!!

Disa

Bárbara Ramos disse...

Sinto muito...
Desejo força para você e para a família do Fred também.
...