quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Para servir de exemplo


Ilustre desconhecida. Assim posso começar a falar de Marcela Nascimento, setelagoana que passa despercebida pelas ruas da cidade, sem nenhum reconhecimento. Mas a menina ainda de 22 anos é campeã mundial, atleta de destaque, artilheira, e mulher que não desiste das dificuldades e corre atrás dos sonhos. E por último, que seja exemplo para o poder público.

Marcela é titular da seleção brasileira de futsal, campeã no último sábado no mundial, realizado em Madrid, na Espanha. Isso já bastava um reconhecimento por parte de nossas autoridades, mas ao contrário disso, desde que começou a jogar bola, ela nem sequer teve apoio. Para seguir seu sonho, a atleta teve que deixar a família cedo, rumo à Governador Valadares, ser campeã estadual. Depois, seguir para mais longe ainda, Santa Catarina, ser atilheira da última liga nacional de futsal feminino, até ser convocada para a seleção brasileira. Sua história poderia ser mais simples, junto aos pais, mas não menos de sucesso.

Na coletiva realizada na última quarta-feira, Marcela não se cansava de falar: "Que nosso título sirva de exemplo e que as próximas gerações de jogadoras não precise passar por tudo que passei".

Em outras palavras. Que não só o esporte especializado, mas as artes, a educação, sejam melhor valorizadas no município. Quando se tem chance, as pessoas sabem bem aproveitar a oportunidade. Quantas Marcelas tem por ai na cidade no futsal, vôlei, basquete, violão, teatro, pintura? Quais seriam as chances dessas pessoas se houvesse uma política pública mais séria para estes setores, que valorizam o atleta, o artista?

Marcela é uma excessão de sucesso, que teve garra, passou perrengues, mas que agora subiu ao mais alto ponto do pódio. E quantos outros ficaram no caminho por falta de atenção, dinheiro ou motivação?

Este texto é uma homenagem não só à Marcela, mas a todos os outros que lutam, independente da falta de vontade dos nossos poderosos, por acreditar em um sonho. Parabéns Marcelas.

Obs.: Estamos aguardando um posicionamento da diretoria do Saae para publicar um texto sobre a bomba, não a bomba do Saae, mas sim, a bomba no Saae. É diferente, caros amigos e leitores.

4 comentários:

Ramon Lamar disse...

Marcão,
já fui patrocinador do time de voley feminino da cidade (Núcleo-SLTC, na época) por 3 anos. Interrompi o patrocínio por desilusão com a falta de empenho da Secretaria de Esportes (na época) em conseguir ao menos o transporte para o time disputar uma das finais do JIMI. Também foi muito chato ver que as bolas que compramos (e não são baratas) terem sido roubadas por um "amigo do alheio" que conseguiu adentrar no "seguríssimo" Ginásio Coberto por uma das janelas quebradas.
Hoje estou novamente pensando em patrocinar um time e o candidato é o Futsal Feminino de Cachoeira da Prata. Já assisti ao jogo das meninas, conheci o pessoal e percebi o apoio que recebem da prefeitura de lá.

No Prelo disse...

PK Ramon,
me lembro bem da época que patrocinou a equipe de volei. Me lembro bem também que a equipe chegou a ter ótimos resultados.

Mas infelizmente, quando aparecem empresários dispostos a ajudar, o poder público não tem a mínima vontade de contribuir, apoiar. E fica só na mão do empresário.

É por isso que defendo uma política pública concistente, não só para o esporte, mas para a cultura. Falta apenas eles enxergarem isso.

Abs

Cesar disse...

Parabens, pelo texto e por ter comparecido a coletiva que propusemos ( o minimo que poderiamos fazer).
Marcao, como todos ali presentes me emocionei demais.
Particularmente vive um misto de frustação pelo que não consegui fazer e animo para continuar buscando ampliar os conhecimentos na terra , para que alem de reconhecer os atuais possamos desenvolver novos talentos.
Em novo post revelarei + açoes concretas para marcela e nosso esporte.

Anônimo disse...

Marcão, o assunto é a Marcela Nascimento e nos comentários não tem nada sobre ela. Então decidi te dar uma dica, a familia dela mora no Boa Vista até hoje e ela é sobrinha do jogador de futebol Juarez Leandro que frequentou a escolinha de futebol do Cruzeiro e foi revelado no Guarani de Campinas. O Juarez até hoje é visto fazendo seus 400 abdominais na lagoa da Boa Vista, sempre cuidando de seu fisico, dando um exemplo para a juventude. Espero ter colaborado!