quarta-feira, 24 de março de 2010

Uma divagação sobre os 21

Mais uma vez recorremos aos nossos textos não para criticar ou fazer denúncia, mas sim divagar, ou melhor ainda, filosofar, sobre os caminhos tomados por autoridades de nossa Sete "Bananas" Lagoas. E desta vez a motivação é a emenda à Lei Orgânica, que aumenta de 13 para 21 vereadores em nossa Câmara Municipal.

A alegação dos vereadores proponentes, além de Caio Dutra (PMDB) outros cinco assinam com ele, é de uma maior representatividade no legislativo municipal. A cidade teria aumentado o número de eleitores, mas estava fixo a quantidade de representantes do povo. Eles dizem que não acarretará um aumento nos custos, pois o repasse da prefeitura é fixado por lei, o duodécimo, de 7%.

Mas será mesmo que a Câmara local precisa de mais oito vereadores? O texto da emenda constitucional, que permite esse aumento diz que cidades entre 160 e 300 mil habitantes deverá ter até, ressaltamos, ATÉ, 21 vereadores. Será que necessitamos do teto máximo?

Um rápido cálculo indica que os novos oito vereadores, que só poderão ocupar o cargo nas próximas eleições, de 2012, devem custar a mais cerca de R$2,1 milhões. Façam os cálculos: R$6,2 mil de salário, mais R$6,5 mil de verba de gabinete, e outros R$10 mil que eles podem gastar com salários de assessores parlamentares, das pessoas que trabalham dentro de seus gabinetes, o que em uma simples matemática, multiplicado por oito, vai dar por mês R$181,6 mil, multiplicado por 12 = R$2,1 milhões. Isso sem contar com custos com telefones, água, luz, dentre outros gastos.

Será que há tanto trabalho assim que compense tamanhos custos?

7 comentários:

Anônimo disse...

serão 21 vereadores fazendo nada, do mesmo jeito que esses 13 que ai estão fazendo coisa nenhuma. Imagino que eles pensam assim: entram mais oito e nos ficaremos, pois o que eles querem realmente é serem reeleitos para não fazer nada.
Pode ser ou ta dificil?????
Enquanto isso, a saúde esta morrendo, e as escolas muncipais estão no lixo.Literalmente.Selagoas cade vc, eu vim aki pra te fu......

Stefano disse...

Isso só tem uma explicação, aumentar a chance de quem trabalhou mal, ou não trabalhou de se perpetuar no cargo. Sinceramente, acho que câmara de vereadores é de uma inutilidade a ser repensada, porque não fazer a participação direta, com associações de bairros e consultas populares, ao invés, de ficar mantendo essa cambada?

Jeca Tatu disse...

Dispois do istádio ilumiado e do chópin, Sélagoa será outra.

Anônimo disse...

Sou a favor! Melhor 21 do que 13. Dilui força individual deles e assim a chantagem pela torca de apoio por cargos fica enfraquecida.
Alem do mais, a população fica melhor representada. E a despesa é realmente a mesma. Vão ter que aprender administrar e custear 21 com o mesmo dinheiro que gastam com 13. Vão ter que aprender que os recursos são finitos e ai parar com a demagogia com o dinheiro público.

BOTO CINZA disse...

Sou a favor. O poder fica diluído e o repasse da Prefeitura, que é de 7%, também. Teoricamente os vereadores vão receber menos.
Quem sabe assim espanta os interesseiros. Também vai haver mais representativade. E os candidatos menos afortunados terão mais chance de ocupar uma vaga.

Stefano disse...

7% é dinheiro pra caramba.

Amaro Marques disse...

Já acho que a dinâmica legislativa merce a representatividade maior através do povo. Acredito que o fortalecimento das instituições (associações de bairro, ONGs, entidade de classes, Clubes de serviços) é capaz de fazer que esta dinâmica legislativa funcione.
Com a Constituição de 88, para o povo ficou clara a função do poder executivo e do poder judiciário, mas não a do poder legislativo. Ainda hj a maioria dos cidadãos(ativos ou passivos) acreditam, piamente, que a função de vereador e transferir renda, realizar serviços de despachante e conseguir vantagens pessoais para si ou para seus seguidores. Um equivoco que nenhum dos três poderes ou que a república trabalho para afastar. Por isso, é necessário fortalecer o movimento pelo "Voto Consciente"...