quinta-feira, 29 de abril de 2010

Direito a remuneração digna




Quem acompanha determinados veículos de comunicação de Sete Lagoas, seja impressos, radiofônicos ou on line, já tomou conhecimento de que a rede municipal de ensino da cidade está de greve desde o último dia 20. No Prelo acompanhou de perto a movimentação dos trabalhadores em educação, na Praça da Prefeitura, numa manifestação pacífica, mas que não deixou de ter um ar de crítica à política salarial adotada pela administração pública.

Os trabalhadores da rede municipal ganharam apoio daqueles da rede estadual, de greve desde o dia 8. A categoria exige o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional que fixa o salário base de R$ 1.312,00 para quem tem ensino médio e magistério. Ainda solicita outros reajustes no salário, passando a R$ 1.706,00 para quem tem ensino superior; R$ 918,98 para funcionários com ensino médio e R$ 656,42 para os que possuem ensino fundamental.

O menor salário base pago atualmente seria de R$ 465,00, pasmem, menos que o mínimo, que é alcançado com as gratificações. O direito de greve é garantido por Lei. Logicamente que o movimento não deixa de prejudicar alunos, mas o mais prejudicial é manter um salário pífio para uma classe que tem a responsabilidade de formar o cidadão. Os trabalhadores em educação, seja do Município, Estado ou País têm direito a uma remuneração digna, para que tenham dignidade de viver tranquilos e dar tranquilidade a seus alunos.

O assunto está sendo discutido com representantes do Poder Público, que está revisando finanças para observar o índice de reajuste que pode ser concedido. Mas No Prelo fala quase com certeza que não chegará ao que os trabalhadores pedem. Alguém duvida?

4 comentários:

Anônimo disse...

Alguem ai se lembra de outra greve no funcionalismo municipal antes?
Mais uma conquista do desgoverno Maroca. Estamos precisando é de um Capitão Nascimento pra gritar:
MAROCA, PEDE PRA SAIR!

Stefano disse...

Ganhar menos que o salário-mínimo além de inconstitucional, é indigno. Com li outro dia: "O problema do Brasil é que, quem elege os governantes não é o pessoal que lê jornal, mas sim quem limpa a bunda com ele!"
MAROCA, FICA NA SUÍÇA!

Cêcê disse...

Isquenta naum peçoal, a cidade tá moderna dimais, caminha pro futuro. Vai ter istádio ilumiado e até chópin. Qualquer koisa, é só pidir imprego no Mequedonali. Lá eles pagam saláril mínimo.

Stefano disse...

E ontem fiquei sabendo, que o secretário estadual e obras e um outro secretário estadual esperaram 1 hora o prefeito acordar, para um reunião marcada às 10 h. 11 horas chega um assessor do Maroca, dizendo que o prefeito estava vindo. Brincadeira da Bela Adormecida. O que podemos esperar agora? Acho que o povo acordar.