sexta-feira, 16 de abril de 2010

E a resposta

Foram quase 34 horas de espera, mas finalmente a prefeitura saiu do silêncio e resolveu falar de gastos com a viagem à Europa. Mas apenas parcialmente, pois pouco ficou esclarecido sobre os gastos e quem vai pagar essa tour por Suíça e Espanha. Veja mais no Portal Uai.

Segundo a nota, foram gastos R$29 mil só nas passagens (???), pagas por empresários locais e o Saae. O restante não ficou muito bem explicado como será pago, afinal, os vereadores tem direito à uma diária de R$1,2 mil por dia no caso de viagens internacionais. Já o prefeito não tem essa diária regulamentada, ou seja, nem sabemos quanto.

A posição do Ministério Público ficou clara: essa prática, de empresas bancarem viagens oficiais de políticos não é vista com bons olhos. E o tiro pode sair pela culatra. A prefeitura deve ter pensado em passar essas despesas da viagem para empresas privadas, para não desgastar junto à população, já que há diversas manifestações de insatisfação na cidade. Mas com isso, se realmente for verdade, pode ter um processo por parte do MP de improbidade administrativa. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Eles terão 10 dias para enviar toda a documentação com os gastos e custos e quem vai pagar esse trenzinho da alegria ao MP. Ai veremos a verdade.

Enquanto isso, uma greve na educação bate à porta da prefeitura...

11 comentários:

IMMAC disse...

Aliás, já que o governo valoriza tanto o meio ambiente, ao ponto de promover uma viagem internacional como essa, esperamos que ele faça a lição de casa e promova a preservação ambiental no município.

Para demonstrar a sua boa fé poderia, desde já, manifestar o seu interesse pela criação do "Parque Natural Lagoa da Chácara". Isso sim seria a manifestação do interesse com o meio ambiente sustentável... e nem precisava ir até a Suíça para demonstrar isso.


Movimento Pró-Parque

Stefano disse...

Para implantar um sistema de tratamento de lixo Suiço, teremos que importar cidadãos suícos também? Pelo que eu saiba, o cidadão tem uma tradição de separação e reciclagem de lixo, ou seja, têm um lixo "mais limpo". Enquanto que aqui, o lixo é todo misturado. Hoje eu li, que em São Paulo, tem empresas com tecnologia para implantar um sistema adaptado às nossas condições, e ouvi falar que em São Paulo, tem ótimas chocolaterias e bons locais de compras também. E olha que nem precisava passaporte.

Renato disse...

Está inaugurada a Marocatur.

Quim Drummond disse...

Sei que ao manifestar neste blog que considero de jornalistas sérios corro o risco de ser pechado de adjetivos etc,etc...
Mesmo que a minha participação nesta administraçao seja como fotógrafo, e isso queira ou nao me faz testemhunha ocular de várias reuniões, projetos sociais em execuçao, obras etc e etc(dispenso as opiniões dos que criticam por criticar) à respeito do assunto tenho a seguinte opinião:

Esta foi a única empresa que visitou a prefeitura(registrei)e apresentou os projetos na área ambiental de tamanha proporção.
Seria muito ingenuidade ou burrice,administradores públicos e políticos fazerem uma viagem dessas sem ter conhecimento da sua legalidade em um momento que o nosso ministério público nunca em nehum tempo deste país esteve tao vigilante com relaçao ao gastos públicos. Agora cá pra nos Marcão, é muita leviandade de um jornal ter como manchete a ida destes administradores públicos e vereadores como sendo apenas turismo. Eu particulamente ponho minha mao no fogo pelo prefeito e se for comprovado algum uso indevido do dinheiro público com certeza estarei de saída.

Abraços

Anônimo disse...

A viagem em sí é justificável. O momento é que é questionável. Já a honestidade e a ética...
O Eliseu Resende que vinha até então fazendo um bom trabalho no Ministério da Fazenda do governo Itamar, caiu porque descobriram que a Odebrechet pagou uma diária para ele em Nova Iorque.
Aquele era um governo sério do ponto de vista ético. Já o nosso atual...

No Prelo disse...

Quim,
ali não há em momento algum palavras minhas sobre legalidade ou ilegalidade da viagem. Quem disse foi o Ministério Público, e somente ele.

Seria mais ingenuidade minha ter eu falado que era ilegal. Foi baseado em entrevistas, pronunciamento oficial.

Mas eu já esperava a reprovação de pessoas do governo após a matéria. Está sendo assim desde o início. Mas é meu trabalho, e não fiz mais do que isso. Levar carada na prefeitura já se transformou em rotina para mim, desde a era do Ronald, o Cana Brava. Então, ou acostumo com isso, ou saio da profissão.

Mas por outro lado, sei que há pessoas na própria administração que aprovaram a matéria, que pensam que a viagem deveria ser contestada.

Enfim, desculpem leitores, pelo desabafo...

Renato disse...

Marcão, parabéns pela matéria. Que venha mais, muito mais. Fazer jornalismo no interior não é fácil. Falo com conhecimento de causa.

Parabéns também ao Dalton Andrade, pela recusa do convite. É o que eu esperava dele.

No mais, ética e honestidade não são virtudes, são obrigação.

A propósito: Quim, como fotógrafo oficial, você irá à suíça para registrar essa histórica viagem?

Stefano disse...

Quim,
será que com todos os meios de informação, imagem, vídeos, não dava pros Suíços fazerem uma demonstração desse sistema por aqui mesmo? Sei que você é uma pessoa honesta e vejo certa razão nos seus argumentos, mas lembrar no técnico francês que montou a fonte da Lagoas Paulino? A população deve estar a par de como seu dinheiro é gasto e tem todo o direito de criticar os seus delegados, quando existem prioridades por todo lado, ou não moramos em outras cidades?

Felipe disse...

Gente, há tanta tecnologia e tantas soluções criativas geuinamente brasileiras surgindo por aí que nem sequer tem espaço nas mídias ou nas publicações de maior vulto... Basta procurar exemplos nas próprias cidades brasileiras, que encontraremos modelos de soluções para as necessidades mais prementes da nossa cidade. Ir à Suíça: legal ou ilegal, me parece descabido demais! Creio que os viajantes apenas "aproveitaram o ensejo" para dar uma voltinha.

Quim Drummond disse...

Meu caro amigo Renato

Nao foi cogitado a minha ida.Mas se fosse convocado e nao tivesse nehum compromisso(tive dois casamento para fotografar este final de semana), na condição de fotógrafo nao iria perder esta oportunidade.

Anônimo disse...

Quim, então quer dizer que se vc não tivesse que trabalhar você teria ido?
(...)