quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Os reclamões da cultura

Reclamar é uma forma de se acomodar. E os reclamões a gente encontra em todos os lugares, em mesa de bar, nos bate papos na esquina. Mas existe uma classe específica de reclamões que se espalha na cidade, os reclamões da cultura. Eles reclamaram quando a revista Isto É tratou a nossa Sete-Bananas-Lagoas como um deserto cultural. Reclamam do som alto de eventos no Anfiteatro do Casarão. Mas também reclamam que não há uma vida cultural na cidade.

Pois bem. Na última segunda-feira, em um projeto dos vereadores Dalton Andrade (PT) e Renato Gomes (PV) - mas na verdade vimos apenas o Dalton no local - os reclamões tiveram uma boa chance de não mais reclamar. O projeto Viva Voz, realizado na Casa da Cultura, trouxe duas excelentes palestras, que falaram um pouco sobre as raízes da cultura Afro-Brasileira, o que define e muito o que somos (não adianta negar, pois mesmo a elite branca de olhos azuis tem seu pé na senzala). No intervalo, uma bela apresentação de capoeira, e um grand-finale com o grupo Xorô, com clássicos do samba e chorinho.

Mas para a nossa surpresa, boa parte dos reclamões nem na porta passaram durante o evento. Não estavam lá nem para reclamar. Se meus cálculos estão bons, estiveram durante o evento pouco mais de 50 pessoas. E pior, um evento com entrada franca.

Mas há de se redimir. O projeto terá mais uma edição na quinta-feira, a partir das 19h30, com palestra do nosso amigo Paulinho, do Bloco do Boi. Uma nova chance para os reclamões de plantão terem um bom motivo para parar de reclamar...

4 comentários:

Anônimo disse...

Obrigado, colegas.

O vereador Dalton Andrade, idealizador do projeto "Viva Voz", agradece o apoio na divulgação e valorização da iniciativa. Ele pede, inclusive, que sejam encaminhadas sugestões de temas para as próximas edições do "Viva Voz". As colaborações, tanto dos jornalistas quanto do público, podem ser enviadas para o e-mail daa@uai.com.br, aos cuidados do vereador Dalton Andrade.

Abraços,

Caio Pacheco
Assessor de Imprensa/Vereador Dalton Andrade

Anônimo disse...

Parabens ao Dalton e ao Renato gomes pela iniciativa.
Agora falando em reclamações, o que me preocupa é que o cidadão setelagoano está ficando acostumado aos problemas e a não solução deles. Vejam, na zona rural tem localidade que falta água a mais de 30 dias. Aqui na cidade tem bairros que não recebe uma gota a 10 dias, outros a 7, outros a 2 dias. Você liga para o SAAE e eles te mandam comprar água nos pipas. Estamos sob uma adiminstração que não consegue sequer capinar os ex-canteiros da lagoa paulino. No cadastramento do bolsa família teve quebra quebra, SAMU, PM, TV e 3.000 revoltados com o atendimento. Enquanto isto, nossa "combativa" imprenssa anuncia que o sr. prefeito visitou a industria tal, assumiu a presidencia da junta tal, esteve com fulano de tal em BH e etc...
Em que mundo este povo vive?

Stefano disse...

Realmente foi uma pena a audiência baixa, mas devo dizer que faltou divulgação, porque só fiquei sabendo, quando já tinha acontecido, através do Daltim. Os Blogueiros têm total razão, quando dizem que tem gente que só gosta de reclamar. Confesso que as vezes engrosso o coro desses. A cultura aqui sempre foi assim, obra de poucos, feita com muito suor. Mas já é um ótimo começo, que tenha surgido na vereança gente com vontade de mudar.

Ganesh disse...

E há ainda os reclamões que, simplesmente, boicotam alguns eventos culturais na cidade por não gostarem dos organizadores, do local, ou por motivos diversos. Vejo isso com o projeto "Sempre um Papo" que, embora seja um projeto de BH, está trazendo para a cidade diversos escritores bacanas em eventos GRATUITOS abertos à comunidade. E os reclamões da cultura e, também, grande parte da imprensa não comparecem...