segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Declaração bomba - d'água

Em meio à tanta discussão sobre o fornecimento de água em Sete Lagoas, o presidente da Copasa, Márcio Nunes, deu uma declaração que pode ser considerada bombástica para a cidade. É com certeza a frase mais importante de toda a entrevista, publicada neste domingo no Estado de Minas (aquele que não tem nenhuma relevância), caderno de Economia.

Abre aspas:

Até 2020 estaremos presentes em todas as cidades mineiras.

Fecha aspas.

A entrevista é sobre o crescimento da Copasa, com a entrada na bolsa de valores e a capacidade de investimento. Mas a frase é para até os piolhos coçarem a cabeça. Afinal, o que revela o presidente, é que em 11 anos, a Copasa estará em todo estado, e Sete Lagoas, por inclusão, também ( ou vão declarar independência e formar a República Independente das Sete Bananas Lagoas?).

Para esquentar ainda mais o assunto, conversamos recentemente com o Geólogo José Jaime Branco, filho de Sete Lagoas, da (re)conhecida Dona Helena Branco, que informou que é um grande risco para a cidade manter apenas um sistema de captação de água. Com o crescimento populacional nos últimos anos, permancer apenas com a captação de poços é correr o risco de cada vez mais faltar água. E na prática isso já ocorre. Em 2008, o Saae perfurou 8 poços, mas apenas 2 deles apresentaram vasão ideal para fornecer água. "Isso é um sinal de que o sistema não aguenta mais", declarou o catedrático da Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Para ele a solução é realmente captar água superficial, seja do Rio das Velhas ou Paraopeba. "São obras caras, mas que é preciso ser feito", garantiu José Jaime Branco.

Será que nossos administradores vão conseguir segurar essa pressão? Ou estão escondendo alguma informação? Pois se é para vender, que seja por um bom preço. Vamos dormir com esse barulho...

3 comentários:

Stefano disse...

Olha nobres Blogueiros,
Eu já me cansei de ouvir, que em Sete Lagoas as coisas não acontecem por falta de dinheiro, quando na verdade é por falta de planejamento. Nós não precisamos da Copasa, para fazer obras que sabemos necessárias, como a captação de água de um dos rios citados, a gente precisa importar da Copasa é um sistema mais eficiente de administração.

Anônimo disse...

Bomba dágua ou lenha na fogueira ...
É de conhecimento público que a Copasa não possui a outorga para captação de água do Rio das Velhas e o SAAE, sim .
E como fogueira que é fogueira tem hora e data marcada.
É uma cilada Bino!

Anônimo disse...

gostaria de fazer algum comentário sobre o tema; o mesmo não deve se encontrar concluso, tendo em vista que alternativas estavam na mesa para decisão do poder executivo local e uma delas era sem dúvida o estudo hidrogeológico; e foi cancelado unilateralmente, e tristemente ficou no esquecimento e sem uma posição oficial, principalmente do SAAE; como a outra é a captação do velhas nada mais justo que propalá-la aos quatro ventos; será por quê?