terça-feira, 18 de maio de 2010

E a greve terminou

Em contraponto ao texto anterior, viemos informar aqui que foi decidida o fim da greve dos professores da rede municipal de ensino. Mas há de se afirmar que, segundo os líderes do movimento, as negociações sobre salários ainda não terminou.

Segundo as informações, a insatisfação dos profissionais ainda é grande, e o reajuste oferecido pela prefeitura não é o suficiente. Mas ainda sim, eles aceitam voltar para as salas de aula, em troca de continuar a conversar sobre pontos importantes da pauta de reivindicação.

Pelo menos, as crianças voltaram a ter aula...

3 comentários:

Anônimo disse...

Vi a reunião da Câmara pela Tv e fico indignado com a postura do tal representante da Cooperselta (e do povo?)fazendo descer por goela abaixo do professores um "aumento" significativo de 9 porcento,uma migalha. o que é indecente é que se não fosse a paralisação tudo estaria em seu lugar: prefeitura superlotada com puxasacos, inércia cerebral do executivo e o autismo do prefeito além do narcisismo excerbado do Sr. Flávio de Castro. Chora Sélagoas.

Stefano disse...

Todo ano a mesma coisa, professores fazem greve em algum lugar, não conseguem nem aproximar dos índices pretendidos e no ano repetem a greve, pelos mesmos motivos anteriores. De outro lado os alunos, que com a paralisação tem o calendário comprometido e a grade curricular prejudicada. Que se faça algo definitivo, porque dessa forma eu vou começar a desconfiar dos objetivos dessa greve em ano eleitoral.

Stefano disse...

Maroca está brincando com o futuro de milhares de cidadãos, expostos a uma carga tributária imoral, que estão no limite. Quando se tira a esperança de um pai, que espera um futuro melhor para os filhos, estamos chegando na fronteira do bem e do mal.