quinta-feira, 4 de junho de 2009

Aumento fajuto?

Pois é, mais uma vez a reunião da Câmara Municipal pegou fogo, mas o assunto a ser tratado aqui não é bem sobre o Legislativo - é de certa forma - mas sim sobre o tal reajuste de 7% concedido pelo Executivo na semana passada, que fixou ainda o piso salarial dos servidores públicos em R$ 500,00. O vereador Dr. Caio Dutra foi o centro da reunião e disse, em alto e bom som, que o reajuste era uma mentira e que ele, na verdade, era de se apenas 0,97%.

O médico levou em conta IPCA, salário base nacional de R$ 465,00 e afirmou que o aumento seria sobre os parcos R$ 434,00 pagos anteriormente pela administração municipal, que inclusive foi assunto em post anterior de No Prelo. Não estamos aqui para discutir se foi ou não de 7%. Se o aumento é mentiroso ou não..., até porque a Prefeitura enviou nota ontem à tarde na qual salienta a aprovação em dois turnos e redação final do projeto de lei e cita que "remuneração significa a composição do salário-base mais as vantagens de caráter pessoal".

Sentimos um racha, que racha nada, uma grande fenda entre alguns vereadores e Executivo, sobretudo porque edis da base de apoio do prefeito já se viram contra ele. Marcelo Cooperseltta desceu o cacete no tal aumento. Claudinei Dias, com sua natureza mais calma - até porque ele já foi padre e padres geralmente são tranquilos -, ressaltou que realmente havia problemas com a definição de aumento, mas que a Câmara tinha que votar, porque senão nem aquilo os servidores iriam ter.

Pode até ser que o tal aumento exista realmente ou que de 7% não sobre nem 1%, mas que o prefeito tem que apertar o cinto ele tem. Estão voando críticas de todos os lados, da Câmara, de servidores, de deputado e até de pessoas ligadas a secretários estaduais. Enquanto isso, ele só vai na boa, é em encontro com espanhóis, com argentinos, com diretor de Ambev. Coletiva que é bom, NADA......

14 comentários:

Flávia disse...

Pois é... O prefeito precisa (re)pensar sua forma de agir... caso o choque de gestão tenha surtido um bom efeito no estado... tenho dúvidas... é preciso lembrar da realidade local e principalmente da proximidade entre eleitores e govenantes nas cidades do interior, como é o caso...
Espero que Maroca e sua equipe façam uma reflexão sobre este assunto... tem muita gente indignada!!!

Anônimo disse...

Coletiva para que? Nunca irão assumir que o aumento é mais uma lenda dos 7 brejos .

Robson disse...

Estelionato salarial:

Há algum tempo afirmei, aqui neste blog, que a eleição do Maroca tinha sido um estelionato eleitoral.

Parece que o homem gostou do adjetivo, pois agora, aplica outro estelionato. Trata-se do “maior reajuste salarial dos último 15 anos”, concedido aos servidores municipais.

Na verdade o reajuste não chega nem a 1%, eis que, incidiu sobre o salário mínimo antigo. Pura esperteza.

Se os servidores quiserem, podem enquadrá-lo no art. 171 do Código Penal.

Mas neste caso, deveriam enquadrar também a Presidente do Sindicato que é co-autora do estelionato aplicado contra os servidores.

Vamos aguardar o próximo 171. Não deve demorar.

Robson

Anônimo disse...

Jornalistas,

Perguntem para os funcionários públicos que tem o salário base acima de R$465,00 se o aumento de 7% é fajuto... Inclusive, para os funcionários do próprio Caio Dutra...
Alias, o salário base de R$434,00 não foi dado pelo Prefeito Leone Maciel, que é do PMDB de Caio?
Respondam-me por favor...

?Curioso?

No Prelo disse...

Pelo visto o "Anônimo" aí de cima é funcionário público e está muito satisfeito com o salário que recebe. Obrigado pela leitura e continue nos prestigiando...mas não se trata de quem está com a razão, mas simplesmente o fato de que há questionamentos quanto ao tal reajuste, que seria "o maior dos últimos 14 anos". Que um salário de R$ 434,00 é muito baixo é, que o salário mínimo de R$ 465,00 é pouco, é também. Deve existir uma política salariam melhor na administração municipal e precisa ser implementada já. Outra coisa, No Prelo é APARTIDÁRIO, não defendemos ou apoiamos quem quer que seja e pode ser visto neste post já que colocamos as falas do vereador Dr. Caio Dutra - justamente sobre as quais versa o comentário - e também trecho de nota da Prefeitura, ou seja, dois lados de uma mesma informação. Ah, íamos nos esquecendo, Leone Maciel é ex-prefeito, é passado, perdeu nas urnas. O prefeito é Maroca, a população tem que elogiar, criticar, cobrar dele, mesmo que ele ainda não tenha se dado conta de que é o prefeito de toda uma cidade com mais de 220 mil pessoas.

Blog de Flávio de Castro disse...

Amigos d'O Prelo,
Nada contra o debate aberto sobre o reajuste salarial dos servidores. Tudo contra o impulso de colocar tudo no mesmo saco. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. A recepção à missão espanhola em Sete Lagoas foi uma ação estratégica. Não se trata de 'ir na boa', trata-se de ampliar, ao limite, a capacidade de interlocução do poder municipal, ir além da corroida agenda da política local na busca de soluções inovadoras para os nossos problemas. Eu acredito e aposto nisso. Não vejo porque criticar, nem direta nem subliminarmente. Abs, Flávio

Anônimo disse...

É isto ai No Prelo. Este prefeito precisa entender que o prefeito de todos os setelagoanos e não somente da minoria que o elegeu. Precisa governar pra todos e com todos e não só com esta patota de fora que ele trouxe. Agora para o anonimo que quer defender o indefensável, quando o salário base era 434,00, o salário mínimo era menor. Não dá para comparar épocas e situações diferentes. Se o salário base era uma merda, continua sendo e se o Leone não foi bom para os funcionários, não permite que o maroquinha também não o seja.

No Prelo disse...

Amigo Flávio, como sempre comentários muito bem feitos. Não se trata de colocar todo mundo no mesmo saco, até porque foi justamente para acabar com uma política do "eu" que as urnas elegeram o novo. Acreditamos sim na administração e sabemos que resultados concretos não surgem da noite para o dia. Porém, não somos nós de No Prelo que criticamos, ouvimos coisas diariamente nas ruas e nas redações. Assim como o prefeito pode ser elogiado por algumas de suas ações, ele também deve ser criticado por outras. É um homem público, sujeito aos dois lados. O que não só nós esperamos, mas também toda Sete Lagoas, são resultados concretos e não apenas discurso. Tempo ao Maroca, claro, mas não um mandato inteiro de espera. Isso não acontecerá...com certeza. Grande abraço e parabéns pelo seu blog, sempre informativo.

BOTO CINZA disse...

Aumento (ou reajuste) de 7% é pouco. O funcionário público merece mais, para poder viver com um mínimo de dignidade. A valorização profissional é necessária para que um profissional possa atuar melhor, atendendo e servindo de cabeça erguida a população.

O que ocorre é que a Prefeitura não poderia dar índice maior e correr o risco de ultrapassar os 42% da receita, máximo permitido por lei para ser gasto com a folha de pagamento dos funcionários. Mesmo assim, alegar isso não é desculpa. Menos ainda dizer que a arrecadação caiu.

O certo é que a Administração municipal está inchada. Quando Ronaldo Canabrava foi deposto, eram cerca de 6.500 funcionários públicos. Em menos de dois, com a tomada do poder pelo Leone, esse número passou da casa dos 8.000. E não houve enxugamento da máquina quando Maroca assumiu.

E é ai que está o erro da atual administração. Precisa afinar a máquina e, assim, ter caixa para valorizar os servidores de carreira, que estão lá por mérito – passaram em concurso - e não por apadrinhamento político. E fazer isso hoje, agora!

robson disse...

Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para voltar sempre inteira. (cecília Meireles).

Anônimo disse...

´Flávio de Castro,

Acho que ninguem aqui está tirando importância da missão espanhola. O problema é que o prefeito não vai a outras solenidades importantes.
Exemplos: 1)Não foi no debate da meta 2010 e do projeto Manuelzão, onde foi discutido em alto nível a questão do saneamento. Alegou probellmas de gôta, mas quase no mesmo horário ele acompanhava jogador de voley na cidade. 2) Não foi nem mandou representante na inauguração da clínica de olhos da Faconsel. Pior, pediu ao Secretário de Estado de Saúde que não viesse. 3) Não foi na posse da diretoria do sindicato dos metalúrgicos, justo no momento da maior crise do gusa na cidade e o sindicato precisa ser fortalecido. Alegou que estava em festa com a família. E por ai vai. E é por ai que a cidade NÃO está indo.

Blog de Flávio de Castro disse...

Amigos,

Eu não disse e jamais diria para vocês não criticarem. Longe disso. A crítica é livre e todo governo tem que saber conviver com ela. Política é área de disputa, de interesses em conflito, de pontos de vista divergentes. O debate é que faz o mundo avançar. Não estou pedindo unanimidade. Só discordei da generalização. Apenas isso.

Sobre o reajuste, dois comentários que não fiz antes: um, acho que não existe avaliação - se fajuto ou não - em abstrato. Em abstrato, bom mesmo é 100%. Acho que é preciso avaliá-lo dentro das condições objetivas. No quadro que vinha e vem sendo apontado, de queda de arrecadação, a tendência era de haver apenas reposição de perdas. Se houve ganho real, qualquer que seja, é uma sinalização positiva. Outro, não se pode incorrer no erro de projetar sobre esse reajuste a expectativa de solução do problema salarial histórico do servidor municipal. Há outros mecanismos para isso. O principal deles é a elaboração de um plano de carreira com critérios de remuneração, progressão e avaliação de desempenho. Não é tarefa fácil, mas espero que o governo dê conta disso.

Forte abraço, Flávio

BOTO CINZA disse...

Com relação ao salário dos servidores, discordo do Flávio de Castro quando diz que houve ganho real; na verade, o que houve é perda real no decorrer dos meses. E o reajuste não foi suficiente para recuperar a perda.

Renato, o otimista disse...

Missão espanhola, Copa do Mundo, shoppings...

Ouvi dizer que também construirão uma fonte luminosa de outro mundo na Lago Paulino, que tal lagoa passará por uma obra para ficar livre da poluição e dos riscos da seca - assim como a do Cercadinho e a da Catarina -, que logo será inaugurado um teleférico ligando a Praça de Esportes à Serra de Santa Helena, que aliás terá um hotel cinco estrelas com um elevador panorâmico ao lado da cascata, que por sua vez ganhará um restaurante digno...