quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

O poder das assessorias

O assunto já foi debatido em Sete Lagoas, inclusive com reunião e tudo mais, porém, parece que a situação piorou. Trata-se do poder de algumas assessorias de comunicação em barrar o trabalho de jornalistas na busca pelos fatos, pela notícia, ou seja, na busca por levar a informação ao leitor, ouvinte e telespectador. Toda unanimidade é burra, já dizia o filósofo, e é claro que não são todas elas as maçãs podres neste grande cesto, mas sim uma pequena minoria. Não cabe aqui atacar este ou aquele órgão, até porque trata-se da assessoria de um único deles o objeto deste desabafo - pelo menos num primeiro momento, mas do jeito que as coisas andam, está difícil trabalhar. Mas vamos continuando, qual o papel de uma assessoria de imprensa? Ajudar - e não atrapalhar - os profissionais da mídia, auxiliá-los da melhor maneira possível no exercício de seu trabalho, seja no fornecimento de imagens, falas, marcação de entrevistas e, principalmente, sugerir pautas, que serão ou não aceitas pelos órgãos de comunicação. Um exemplo claro da eficácia de uma assessoria de comunicação em nossa cidade está o UniFEMM, que sempre envia sugestões, tenta agendar entrevistas e tudo mais. Que bom seria se todas fossem assim. E como a do UniFEMM estão várias outras, fora e dentro das esferas de poder, mas ao mesmo tempo estão aquelas que minam os fatos ou só repassam o que lhes é interessante. Caríssimos, precisamos sim de um trabalho conjunto, que seja bom para ambos os lados, pois quem sai ganhando é sempre a população. Que a carapuça possa servir em quem melhor convier!

2 comentários:

Lyra disse...

Parabéns por esta iniciativa,espero que vocês redirecionem aplicando o verdadeiro papel da imprensa em Sete Lagoas, a maior parte desses órgãos publicam matérias direcionadas desrespeitando a inteligência do povo Setelagoano.

Lyra disse...

Ass: Hugo Lyra