quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Será que se houvesse transição de verdade.....

Imaginando aqui com meus botões, chego a um raciocínio que pode não agradar muitos, sobretudo aqueles que perdem cargos eletivos e têm que deixar seus postos. Será que se tivesse realmente havido uma transição completa de poder em Sete Lagoas, a cidade estaria vivendo hoje os problemas que enfrenta? Chegam às caixas de e-mails dos órgãos de imprensa destes que vos escrevem pedidos de informações em relação ao pagamento de salários pela Prefeitura Municipal, que normalmente ocorriam até o dia 28 de cada mês, mas que em dezembro de 2008 não foram creditados e o pior, até esta quinta-feira (08/01) também não constam nas contas-salário dos servidores.

Sei, é a crise mundial, é a queda de receita, em impostos, mas se a nova administração municipal soubesse onde o calo estava apertando, se ao contrário do que dizem, as informações completas tivessem sido repassadas à equipe de transição, com estimativas de receita, evolução ou involução na arrecadação dos impostos, a quem a administração deve, coisas do tipo, provavelmente muito do que se atravessa hoje poderia ter sido evitado. Afinal de contas, a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, no caso, os funcionários.

Por outro lado e ainda decorrente desta falta de troca das informações, levará algum tempo para que o grupo do novo prefeito tome tino do que se passa. Lógico, este tempo deve ser dado para que se projete um futuro com menor risco, mas será que a população consegue esperar? Será que as crateras que se abrem a cada dia nas ruas da cidade precisarão se transformar em abismos para que algo seja feito? Será que os sistemas de saúde e educação podem aguardar - visto que são estes dois últimos setores prioritários?

Bem, se deve sim dar tempo para que o novo comando municipal possa se adequar. Porém, uma cidade do porte de Sete Lagoas, pólo de uma região que estima-se ter mais de 500 mil habitantes em cerca de 35 cidades, não tem tanta paciência para aguardar. O povo preferiu a mudança e é justamente ela que estamos esperando. Tudo a seu tempo, mas que tempo será este? Boa sorte aos governantes, porque precisarão dela acima de tudo, até porque ser vidraça é pior do que ser estilingue!

12 comentários:

Robson disse...

Voltamos ao placar do nepotismo.

Acrescente mais uma prima do maroca na Administração, ou melhor, na Secretaria da Saúde.

Trata-se de Solange Paiva que arrumou um empreguinho de Coordenadora de Saúde com um salário R4 3.400,00.

Ei Maroca, vê se lembra de mim!

Robson disse...

Mudança de Nome:

Já que o Maroca não está lembrando de mim, resolvi mudar meu sobrenome.
De hoje em diante podem me chamar de Robson Paulino Campolina Paiva Filizolla.
Ahhh...agora acho que vai dar certo!

Anônimo disse...

Que crise econômica mundial que nada! O negócio é que o gestor anterior gastou além do limite e incorreu em crime de improbidade administrativa, que pode se punido com prisão imediata. Aguardamos ação do Ministério Público.

Eder Coimbra disse...

Sei que vivemos em um país onde impera a liberdade de expressão. Mas comentários como esse do Robson é no mínimo “ridículo”. Pois de nada acrescenta. O Nepotismo deve sim ser evitado. Só que na realidade o que ocorre é a nomeação de parentes sem qualificação técnica para assumir cargos junto a administração, mas a partir do momento em que tais pessoas mesmo sendo parentes tenham a devida competência para estarem assumido, o nepotismo cai por terra uma vez que o interesse publico estaria sendo preservado. Estude mais Direito Administrativo. Não to aqui querendo defender o atual governo nem muito menos ser contra o antigo. Apenas quero que comentários como esse sejam evitados. Quando a questão dos buracos nas ruas e salários atrassados creio que a atual administração não é culpada uma vez que infelizmente mão houve transição em Sete Lagoas, iremos pagar agora o preço por isso.

No Prelo disse...

Sr. Eder Coimbra,
antes de tudo agradecemos a participação em nosso blog. Lembramos que este é um espaço democrático para discussões, mas que a opinião seja sempre respeitada. Aqui defendemos a máxia de que podemos não concordar com a sua opinião, mas brigamos pelo direito de opiná-la.

Quanto aos buracos e salários, é justamente isso que o texto acima trata. Da falta de transição. Acho que fomos claro.

Obrigado mais uma vez e esperamos contar com seus comentários sempre.

Robson disse...

Nepotismo e Competência:

Meu caro Éder Coimbra, nepotismo é ilegal.

A constituição Federal proíbe sua prática, e, o Supremo Tribunal Federal já emitiu Súmula Vinculante a respeito.

Isso se aplica até mesmo para os parentes que tenham competência ou que possuem qualificação técnica.

E na minha opinião, também é imoral!

Arranjar desculpas (competência, qualificação técnica, ganho para administração pública)é mero expediente para burlar a Lei.

Respeitosamente.
Robson

Robson, O legalista disse...

Estudei!!!!
Atendendo sugestão o Éder Coimbra estudei sobre o neotismo e descobri a seguinte súmula:
" A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, ate o terceiro grau, inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção,chefia ou assessoamento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta ou indireta em qulquer dos poderes da união, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Consttuição Federal" (súmula 13 do STF publicado em 29/08/2008 no DJ de nº. 162/2008).
Como viste, eu tenho razão. O resto é balela da parentada Paiva para justificar o injustificável!

Anônimo disse...

Pelo que entendi, somente o irmão do Maroca, o Paulinho Paiva, se enquadraria na lei do nepotismo. Primos são parentes de 4º grau. Seguindo a tese, o Gustavo Paulino é parente do Prefeito em 5º Grau, por ser filho de primo.

Agora, no caso de primeiro escalão (secretário), parece que pode. Pode? Se não pode, a assessoria jurídica do Prefeito é de uma incompetencia terrível.

Agora, não concordo com o Robson (pareçe que está triste de não ter arrumado uma boquinha). Competência e qualificação é uma excelente desculpa para se nomear assessores. Existe outra melhor?

Anônimo disse...

Boquinha só para Parentes:

Não tenho a pretensão de ter uma boquinha na Administração, como afirma o Anônimo, mesmo porque não sou parente do Maroca.

Quanto ao grau de parentesco a lei veda também os por afinidade, ou seja, indenpendende do grau.

Um abraço. E dou por encerrado a controvérsia,pelo menos até a nomeação do próximo parente.

Anônimo disse...

Outra pergunta ao Robson: O impedimento de nomear parentes do afinidade vai até em que grau?

Anônimo disse...

Robson, anteriormente você disse que " A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, ate o terceiro grau, inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção,chefia ou assessoamento".

Também é até o 3º grau, e não independente de grau, como disse por último.

Modifico a pergunta do comentário anterior: Qual das duas colocações suas está certa?

Robson disse...

Desculpem a demora...

Estava viajando e cheguei somente hoje. Por isso a demora nas respostas.

O Anõnimo está certo. Mesmo por afinidade a relação deve ser até o 3º. grau.

Portanto, modifico meu entendimento anterior.

Valeu Anônimo!!

Desculpem a falha técnica.

Robson


.