segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Sobre isenção

Podíamos falar de isenção de impostos, de isenção de opinião. Mas pelo contrário, vamos falar sobre a isenção da imprensa. Infelizmente, no Condado das Bananas, vulgo Sete lagoas, este assunto é tratado de uma forma um tanto quanto sem isenção. O fato é que ao que nos parece, para nossos políticos a palavra isenção não consta no dicionário.

Ou então é que nossos políticos não estão acostumados a encarar uma imprensa que tem maior liberdade de opinião. Afinal, para se controlar um povo, o caminho mais fácil é controlar a mídia.

O que nos deixa decepcionados é ver pessoas que antes falavam em mudanças nos ares sete-lagoanos, com um discurso de mais ética nos mandos locais, se deixar levar por cabeças tão rudes. Será que eles não enxergam que para o crescimento da sociedade, um dos pontos principais é a isenção do jornalismo?

Aqui, o que vale é a máxima: ou se está a favor ou contra. Não há meio termo. Talvez fruto das escolhas feitas, em se colocar pessoas que ainda pensam dessa forma, de forma retrógrada. O coronelismo já caiu de moda, e não pode mais encontrar espaço em burgos como Sete-Bananas-Lagoas.

Será que a tal mudança de ar se refere a outros narizes que fuxicam da mesma forma os mesmos assuntos?

Para bons entendedores, um pingo é letra...

3 comentários:

Robson disse...

Caros Editores:

Estou sentindo um cheiro de censura no ar.

Fiquem firmes.

O Prelo é o único canal da imprensa sete-lagoana que ainda podemos manifestar opiniões divergentes dos atuais mandatários.

Força rapazes!!!!!!!!

Um abraço.

Robson, o solidário.

No Prelo disse...

Caro Robson,

antes de tudo precisamos agradecer a você de forma especial, por dar tantas boas colaborações, e de forma contundente, sempre mantendo o bom nível nas discussões.

Sobre o texto referido, não recebemos qualquer tipo de censura. Nosso espaço sempre foi e sempre sará aberto (com excessão de algum caso em que for usado de forma que considerarmos anti-ética).

E é justamente por isso recebemos diversas críticas maldosas, e muitas vezes pelas costas, de forma mesquinha e barata. Típica de uma mentalidade retrógrada.

Mas não vamos nos calar. Aqui quem manda somos nós, juntos com nossos bons leitores. Fique certo de que não desistiremos de dizer sempre o que achamos certos, pontuados pela ética.

Abrigado mais uma vez.

Robson disse...

Valeu moçada.

Um abraço para todos vocês.

Robson.