quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Me conta uma novidade II....

Um grupo de médicos que atua na saúde Sélagoana denunciaram, em carta encaminhada ao prefeito, vereadores, secretário de Saúde e presidente do Conselho de Saúde, a situação do atendimento público no município. Assinado pelos chefes de várias clínicas como Pediatria, Ortopedia, Médica e até o SAMU, o documento esmiúça - uhhh!!! - o quadro e coloca a situação como à beira do caos.

Tá aí, me conta uma novidade? Macas em corredores do Hospital Municipal, falta de produtos para o atendimento, tudo isso e mais um pouco foram relatados e já são do conhecimento da maioria da população. Ao que tudo indica, a questão não passa pela falta de investimento, mas pela má administração dos recursos. Enquanto isso, sofrem médicos que querem prestar um bom serviço e, principalmente a população, que necessita deste bom trabalho.

Mas quem mais é atingido é o prefeito, sobretudo na sua imagem. Eleito como a tábua de salvação diante dos últimos administradores públicos, Maroca sofre desgaste de sua imagem perante fatos como saúde na UTI, mal atendimento de outros serviços públicos como SAAE e por aí vai... A denúncia dos médicos é séria e nunca em tempo algum um documento tão profundo foi apresentado. Dois médicos utilizaram até a tribuna do povo da Câmara Municipal para rasgar o verbo e olha que o bicho pegou em mais de duas horas de pronunciamentos. (mais tarde um post só sobre esta parte)

Se nem com investimento de mais do dobro exigido pela Lei na Saúde o setor caminha bem, quem poderá nos ajudar? Nem me venham com o Chapolin Colorado, porque na idade que ele está hoje corremos o risco de ele precisar ser atendido nas unidades de saúde locais e aí já viram né.... É triste que mais uma vez tenhamos que abordar este assunto, mas é a realidade, nua e crua.

6 comentários:

Stefano disse...

Isso acontece no Brasil inteiro. Aqui o sujeito que não tem plano de saúde, morre sem conhecer um médico. Realmente a coisa está feia, mas porque esses médicos vieram se pronunciar agora? Se todos sabem que a alguns anos o nosso maior hospital ia fechar as portas. Sete Lagoas está crescendo muito e não se preparou para isso. Parece que dinheiro não é problema, porque estão comprando aparelhos pelo preço até 4 vezes maior. Tudo aqui é muito estranho, até o protesto as vezes caminha por outros trilhos, que levam ao interesse meramente político.

Anônimo disse...

Semana passada o Secretário de Saúde sumiu dois dias, preocupado com suas atividades para concorrer a uma disputa para a Sociedade de Pediatria, a qual sonha presidir. Saiu da cidade para um evento do sul, e nem era palestrante. Estava em Caxias do Sul, na serra gaúcha, talvez aproveitando o friozinho e os vinhos da região.
Agora, com essa crise, se foi para Brasília, mais uma vez para fazer propaganda de sua chapa. Dizem que a candidatura não emplaca nem no seu estado natal, que é o Maranhão.

Robson disse...

Pensei que eles (os maroquistas) tivessem a solução prá tudo, inclusive para solucionar o problema da Saúde pública do município.

Afinal eles prometeram isto na campanha eleitoral.Lembram-se?

Mas considerando as últimas cenas de pugilato dentro do Gabinete do Secretário de Saúde, creio que nem na porrada eles vão conseguir.

Sugiro que a próxima briga seja realizada nas proximidades do HM, pois assim ficaria mais fácil dar atendimento médico aos pugilistas.

Enquanto os maroquistas se degladiam em socos e pontapés,o verdadeiro esparring desta luta é povo sete-lagoano, que não tem nada a ver com isto.

Até o próximo round.

Robson

Anônimo disse...

Robson,

Não dá para fazer a próxima briga perto do HM. Vai que um deles machuca. No HM é que não vão ter atendimento algum. Só se for nas macas dos corredores.

Enquanto isto, o prefeito que prometeu solucionar a saúde em 100 dias, em 282 dias de mandato conseguiu:
1- Aumentar substancialemnte os gastos com a saúde com a contrataçãos de diversos apadrinhados e familiares a salários altissimos, com superfaturamento das compras e com má gestão.
2- Piorar substancialemnte o atendimento na saúde como um todo. Os PSFs estão com equipes incompletas, quando tem alguma; os PSs encolheram o atendimento; os PAs demoram horas para atendimento e estão super lotados e o Hospital Municipal dispensa comentários.

Robson disse...

Ao anônimo acima:

Vc tem razão. O risco de não ter atendimento no HM é real.

Mas aproveitando o gancho da nomeação de um Delegado de Polícia aposentado para a Secretaria de Transporte, sugiro ao governo maroquista que nomeie outro Delegado (mas da ativa) para Secretário de Saúde.

Desta forma pode-se dar um jeito nas brigas, sopapos e pontapés que ocorrem na Secretaria.

No Prelo disse...

Caro "O Coyote", ressaltamos que recebemos o seu comentário, até entendemos seu ponto de vista e sua colocação em forma de pseudônimo. Porém, algumas de suas colocações atacam pessoas diretamente e devido a isso não será possível publica-lo. Pedimos desculpas e colocamos que algumas informações poderão nos ser muito úteis, no caso de reportagens. Obrigado e continue nos prestigiando.