segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Vai pegar fogo

Agora é certo. Foi protocolado na última quinta-feira o pedido de abertura de CPI, feito pelo vereador Caio Dutra. O motivo da comissão seria a compra superfaturada de um equipamento de análise clínica de urina. O preço, segundo a nota da Fundação Municipal de Saúde, pago pelo equipamento foi de R$11,5 mil, 10 vezes mais do que uma nota apresentada pelo vereador.

O pedido deve ser apresentado pelo Caio na reunião desta terça-feira. E há diversas considerações sobre isso. Para efetivamente abrir a CPI é preciso de cinco assinaturas de vereadores. O PMDB tem quatro, e deve contar também com o Reginaldo Tristeza, ou mesmo de Marcelo Cooperselta, que já havia dado apoio informal pela apuração dos fatos.

Mas ai vem as negociacões políticas. O bloco do PMDB terá direito a apenas um das três vagas na CPI. As outras duas deverão ser preenchidas por vereadores da situação. Um da bancada do PT/PV, com quatro vereadores, e outra entre o PMN, de Duílio e Marcelo, ou PP, do Euro Andrade e Milton Saraiva. Assim, a briga pela presidência e relatoria da comissão vai ser acirrada, afinal são esses cargos que comandam os trabalhos da CPI.

Amanhã teremos mais novidades.

2 comentários:

Anônimo disse...

Tem mais! A Fundação Municipal de Saúde comprou uma lavadora de alta pressão por R$ 2.100,00. Ela custa R$ 529,00. Ou seja, a administração do Sr. Marcola (olha ai o nome combinando) pagou 297% a mais. Para quem quiser conferir, a especificação da lavadora é: Lavadora de Alta Pressão Modelo 6200J 220 volts e a marca é Jacto. Está tudo lá na Nota Fiscal.

Stefano disse...

Será que mais uma vez, vamos chafurdar na lama? Com toda esses ares de progresso, que tem invadido o Brasil, com Copa do mundo, olimpíadas, e Seven Lakes City, no noticiário da corrupção?