terça-feira, 31 de março de 2009

Nada a comemorar


Já se passaram 45 anos desde o início de um dos piores períodos da história do Brasil. Em 31 de março de 1964 o país era tomado de um golpe militar - isso mesmo, golpe, apesar de alguns defenderem ser uma revolução, e até mesmo um texto da Folha de São Paulo afirmar que foi uma Ditabranda. Ambos escribas deste blog nasceram em meio ao período de chumbo e a abertura política, e vimos pela televisão a eleição e morte do mineiro Tancredo Neves, mesmo sem entender na época a importância disto para o Brasil. Viemos realmente conhecer de perto nos bancos escolares a real situação que antecedeu o retorno à democracia, esta sim, bem conhecida por nós, que começamos a votar após as primeiras eleições a aprendemos a importância desta principal arma política, o voto.

Não vivenciamos as perseguições, os porões do DOI-CODI, o AI-5, mas sabemos muito bem os estragos causados na nação. Ainda hoje o Brasil sente na pele as consequencias deste período triste, e infelizmente muitos dos políticos que foram beneficiados nesta época ainda ocupam cadeiras importantes em Brasília. É só conferir o IDH do Maranhão. O governo federal prometeu uma maior abertura dos arquivos militares, mas pouco se fez até agora, e muitos guerrilheiros, ou se alguns preferirem terroristas, que lutaram pela liberdade, estão perdidos pelos porões. Não se tem nada a comemorar nesta data, apenas lembrar este triste episódio e aprender muito com ele.

Mas parece que a memória é curta, e que alguns se esqueceram que o amaldiçoado AI-5 caiu por terra há muitos anos. E sabemos disso bem próximo à gente, mais do que imaginam. Soubemos que uma equipe da TV local esteve sexta-feira na Associação dos funcionários da prefeitura, no exato momento em que a Vigilância Sanitária interditava o local. Foi feito a reportagem, conforme manda o figurino, mas todo o trabalho foi em vão. A matéria não foi ao ar por determinação da prefeitura, ou pela secretaria de comunicação, de onde partiu a ordem.

É um caso claro de censura, e que deixamos aqui registrado nosso repúdio ao fato. Não é mais aceitável conviver com a interferência e a proibição de uma informação 20 anos depois das primeiras eleições diretas. Pensávamos que o coronelismo tinha terminado, enterrado junto com velhos coronéis nas últimas eleições. Esperamos estar errados quanto à nossa impressão e a este texto...

11 comentários:

Indignado disse...

Pois é, na época da DITADURA (sim, foi didadura, com todas as letras) as pessoas não tinham vóz e não ficavam sabendo das atrocidades (torturas, corrupção e etc...) por causa da censura.
Hoje, não adianta censurar (a maior parte da mídia daqui é comprada e por isto é fraca) porque ainda temos meios independentes como este blog (parabens) e o boca a boca funciona, vide a reporter da ETV que quase se demitiu.
É esta a mudança que seu Maroca tanto pregou? Mudar pra tráz? Voltar a censura? Eta ferro!

PS: A ETV é do Deputado Ruy Muniz. Nada como lhe dar o troco nas próximas eleições.

**...flor de leminski...** disse...

A sensação é de que levei um soco! (é possível processar um texto com a lei Maria da Penha?)

Péssima piadinha à parte (ainda mais depois deste texto, que deixa qualquer piadinha péssima!)... ao longo da leitura meu queixo já foi caindo porque saquei que viria alguma bomba. Ao final, a constatação é de que qualquer comentários (incluindo este!) soará banal e desnecessário.

Mas, enfim... vamos falar pra não engasgar!

Primeiramente: Bravo,'No Prelo'! Mais uma vez vocês nos possibilitam a chance de participar da informação que muitos prefeririam que fosse mantida entre poucos. Obrigada!

O resgate histórico do 31 de março caiu como uma luva para contextualizar a iniciativa de censura da prefeitura. Censura é uma palavra pesada, choca... mas isso porque o que ela significa é pesado, é chocante!

Chega da gente continuar achando que porque acontece, é normal. Não é!

Robson disse...

Aprendiz de ditador:



O bom moço da praça de esportes está mostrando seu verdadeiro “espírito democrático”.

Para atender um apaniguado mandou para as cucuias a segurança da saúde dos usuários da Associação dos Servidores.

Para esconder a mazela censurou a imprensa que noticiaria o fato.

Não é sem motivo que digo que a eleição do Maroca foi o maior estelionato eleitoral acontecido em Sete Lagoas

Robson

**...flor de leminski...** disse...

Concordando ou não (e haja vista a dimensão dos fatos isso é completamente irrelevante) gostei do conceito "estelionato eleitoral".

Stefano disse...

O pior de tudo é saber que gente como Sarney, que se postou mansamente ao lado dos militares é hoje presidente do senado. Pelo menos hoje podemos falar o que pensamos, o que é pouco. O povo brasileiro tem pouca noção do que é a verdadeira democracia, uma cicatriz que precisamos apagar. Essa notícia da associação é um exemplo claro, de que ainda precisamos tirar muita gente que está "amoitada" na Câmara de Vereadores, com prestígio, enquanto pouca gente sabe, que ele só defende seus próprios interesses e a sua ambiciosa e sonhada escalada rumo à prefeitura. Maroca está precisando se explicar, ou vai afundar antes de completar seu trajeto, será outro Titanic?
A alternativa de que precisa o Brasil tem três componentes: mudar o modelo econômico, revolucionar o ensino público e construir democracia capaz de acabar com o controle oligárquico do poder. Não existe participação popular nas decisões, por isso a politicada vive solta, fazendo esse absurdos.

Anônimo disse...

Stefano,

faltou dizer o nome da fera. O nome dele é Duílio de Castro, que ao invéz de se fazer lutando e defendendo os interesses da cidade, vem galgando poder na política através deste tipo de atitude que beneficia alguns em detrimento do todo. Vejam só, uma ação do Sr. Presidente da Camâra, Duílio e do Sr. chefe do executivo, Prefeito Maroca, muda uma decisão, correta, do orgão mais autonomo (?) que a cidade tem que ter que é a vigilância sanitária. O pior vêio depois, com a censura. Ai concordo com o indignado acima, é boicotar as ações e os negocios aqui (ETV, Rádio Eldorado, jornal Hoje Cidade e faculdades Promove) do forasteiro Ruy Muniz e dar o troco nas urnas.

Anônimo disse...

Mais uma: Depois desta intervenção na vigilância sanitária, o Secretário de Saúde, Jose Orleans esta na marca do penelti para cair.
Deve cair justamente pelo que fez de correto. Substituto já foi sondado\convidado. Ai é duro de aguentar...

Anônimo disse...

É mesmo uma caixa de Pandora a administração Maroca, Quem manda?Quem cumpre? Mas quem descumpre é público e Notório.
Infelizmente nossa cidade teve a triste sorte da Governança Maroquista.

Anônimo disse...

Para o anonimo acima e todos,

O certo é que Maroca, o fraco, não manda mesmo. Ele suspendeu a interdição - correta - da vigilância a pedido do Duílio, o paternalista, mas a suspensão só valeu para a festa programada.
O ato de interdição está valendo e em vigor.
Agora o mais importante o prefeito não fez. Se a Associação dos Servidores, único meio de lazer da maioria deles, não está em condições, o certo seria interditar mas ao mesmo tempo apresentar solução para a desinterdição e melhorias naquele lugar tão importante para o convivio dos servidores muncipais.
Isto ele, Maroca, o imcompleto, não faz.

Anônimo disse...

A Associação dos Servidores é uma entidade autônoma e independente. A Prefeitura não pode mandar lá. Muito menos gastar dinheiro público. O presidente da entidade (Eleito por um Conselho e há anos no poder)é que tem que buscar uma solução.

Anônimo disse...

Para o anomino anterior.

Concordo, a prefeitura não pode mandar na Associação dos Servidores, muito menos o PREFEITO NÃO PODE MANDAR A VIGILÂNCIA SANITÁRIA SUSPENDER INTERDIÇÃO LÁ.
Neste fim de semanda houve outra festa lá na associação.
Agora dar solução ao problema e gastar dinheiro público lá pode sim. É autonoma mas é dos servidores MUNICIPAIS PÚBLICOS. Quase todos os ex-prefeitos gastaram lá para atender o lazer e o esporte dos servidores. O atual é que só sabe fugir dos problemas e principalmente da soluções. É desculpa pra tudo. Quando não é a falta da transição, são as chuvas. Agora vem com esta de que a ssociação é sutonoma. Qual será a próxima?