quinta-feira, 19 de março de 2009

Uma homenagem


A foto acima é uma homenagem do nosso blog ao Dia Mundial da Água. Enquanto se prepara para comemorar no próximo domingo esta data, o esgoto acima corre solto. Só para ambientar nossos leitores. Isto é uma bomba de esgoto no bairro Belo Vale II, só que está danificada (e sempre esteve segundo um funcionário do Saae), e o resultado é que todo o esgoto corre ao ar livre, como se fosse um rio negro, até encontrar o Ribeirão dos Tropeiros, afluente do Jequitibá, que desagua no já poluído Rio das Velhas. Para piorar a situação, o tal rio de esgoto passa logo ao lado de uma das bombas de poço artesiano, que retira água de nosso subsolo para abastecer a cidade. Nem precisamos falar que se corre o risco de contaminar todo o nosso lençol freático. A história também se repete no bairro Nova Cidade.

Nosso secretário municipal de meio ambiente, Lairson Couto, admitiu que Sete Lagoas é a segunda cidade mais poluídora da bacia do Velhas. Mas por enquanto... Afinal, há Estações de Tratamento de Esgoto sendo construídas, e a região metropolitana de Belo Horizonte deixará de poluir o rio. Ai sim, teremos o honroso primeiro lugar, pelo menos em alguma coisa. Cerca de 97% de nosso esgoto é jogado In Natura nos Ribeirões e Córregos que cortam a cidade.

Não estão ainda satisfeitos? Outro funcionário do Saae (preservamos aqui nossas fontes, por claro, não sofrerem perseguições na autarquia), nos contou que de 15 de janeiro a 15 de março foram pagos nada menos que R$160 mil em contratos de aluguel, de computadores, máquinas, caminhões. Uma verba um tanto quanto gordinha para esse destino. O tal prestador de serviço é o mesmo há mais de seis anos, provavelmente deve ser um mestre em vencer licitações.

Conversamos ainda com engenheiros do Saae, para nos dar uma resposta. Eles acusam os sete anos em que a autarquia prestou serviço de limpeza urbana, sem receber por isso, o que seria a causa de todo o sucateamento. Há ainda o problema de inadimplência, principalmente de casas em bairros mais ricos, como o Mangabeiras, em que as piscinas ficam cheias, mas não se paga as contas. Pediram mais uma vez paciência para que os problemas sejam resolvidos, e que acreditam na nova administração e no novo diretor-presidente, Ronaldo Andrade. Mas admitiram que possivelmente o município não vai conseguir cumprir a Meta 2010, já que ainda não há verba para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), e o tempo está terminando. Mas disseram que as obras de ligação até as Areias, onde será construída a ETE, estão avançadas, e que parte do projeto está concluído. Eles ainda aguardam que um certo deputado federal consiga esta verba através do PAC. Por fim, eles ainda reclamaram dos baixos salários pago na autarquia (UFA!!!). A dupla de engenheiros que nos atendeu disse que estão trabalhando arduamente para que o serviço prestado à comunidade seja de qualidade, e que não estão parados, como a maioria pensa.

Entendemos claramente que o Saae ficou sucateado por muito tempo, mas até o mundo mineral sabe que não foi somente por causa do problema do serviço de limpeza urbana. Já foi dito até mesmo pelo já citado Lairson Couto, que a autarquia tem muita interferência política, que virou uma caixa preta, e muitos prefeitos usaram e abusaram do dinheiro do Saae em proveito próprio. É preciso modernizar e profissionalizar a empresa, e deixar os políticos corruptos de fora. Soubemos que vereadores continuam com indicações de alguns cargos no Saae, para pessoas que possivelmente só recebem o seu recheado salário.

Caso contrário, seria então melhor deixar que a Copasa tome conta do assunto...

7 comentários:

**...flor de leminski...** disse...

Para 'No Prelo': palmas! Texto crítico, informativo, minucioso, consistente e irônico... como só vocês sabem fazer!

Ps: Tá tudo errado MESMO!

Daniel disse...

Adorei essa foto! Pois nao passeio pela cidade para ver tanta coisa, porém nao tão distante, quando cheguei de Belo Horizonte, fui fazer uma caminhada no cartao Postal de sete lagoas, a lagoa paulino, fiquei abismado com a sujeira que estava a lago, devia ter mais de 40 garrafas de plastico qu eu contei, tirando a sujeira. Queria pergunta por onde anda o secretario do meio ambiente?

Robson disse...

SAAE - Acima de tudo, uma questão de irresponsabilidade!

Há tempos a questão do saneamento e da captação e distribuição de água em Sete Lagoas constituem fatores de preocupação para a comunidade.

Só não foi preocupação para os vários gestores da cidade – salvo raras exceções – que viram no SAAE, uma fonte inesgotável de possibilidades de empreguismo, apadrinhamento e enriquecimento ilícito.

A exceção pode ser creditada ao ex-prefeito Múcio Reis que levantou a lebre, e deu início à discussão sobre a fragilidade do sistema público de saneamento e distribuição de água, bem como o da inoperância do SAAE. Mexeu num vespeiro! Foi triturado, politicamente.

Desde então o problema só aumentou.

O discurso ufanista de que o “SAAE é nosso” é próprio dos incautos - sempre puros e bem intencionados - e, também dos larápios de toda estirpe – sempre atentos e sedentos por oportunidades ilícitas.

O discurso racional deveria versar sobre variantes, nem sempre simpáticas, mas, sobretudo necessárias, dentre as quais destaco: a capacidade tecnológica e de investimento do SAAE: a profissionalização dos servidores; o combate sistemático à corrupção no Órgão; interligação do sistema de distribuição de água; Implantação de tratamento de esgoto; estudo de viabilidade econômica do SAAE; capitalização da Autarquia; abertura do capital; parceria público-privada (PPP); ou finalmente a privatização.

Como se não bastasse tantos problemas, a administração maroquista acrescentou mais um na receita do caos: a politização partidária dos servidores do SAAE. Aos admiti-los em sua campanha para Prefeito comprometeu-se com a categoria, e não terá a isenção necessária para tomada de decisões.


É o caos.

Robson

**...flor de leminski...** disse...

Gostei dos detalhes, Robson.

E concordo.
É o caos!

A nós, o que resta fazer?

Anônimo disse...

Ao Robson,

Mais uma vêz, lúcido e coerente.
Não custa lembrar, que antes do Múcio Reis, na administração Sérgio Emílio, o SAAE, nosso SAAE, foi o 1º de Minas e o 4º do Brasil em distribuição de água e coleta de esgotos. Tinhamos 100% de água e mais de 90% de capatação de esgotos.
De lá pra cá....
Falta acrescentar que é preciso ter coragem política para reajustar as defasadas tarifas de água e esgotos, pois sem elas reajustadas não dá pra recuperar a capacidade e investimento do SAAE.

Robson disse...

Ao Anônimo:

Acrescento o ex-prefeito nas minhas exceções, por motivos justos.

Mas o reajustamento das tarifas só se justifica após a eliminação do by-pass, o popular "gato" nas ligações domiciliares, já que 99% dos "gatos" são realizados pelos próprios servidores da Autarquia.

Primeiro combate-se a ladroagem. Depois pensa se é necessário o aumento de tarifas.

Robson

Luciano Oliveira Gonçalves disse...

1ª vez No Prelo, lendo as materias, gostaria de lembra-lós da existência de uma ETE no Barreiro, instalada na adm. Múcio Reis, e que dps foi esquecida... tdo o esgoto recolhido vai pro riacho, sem tratamento, poluindo e causando estragos sérios ao meio ambiente...
Fiquemos de olhos abertos, para sempre cobrar açoes serias dos nossos politicos...